Fundo
Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store
Data comemorativa do dia 12 de junho
Dia do Correio Aéreo Nacional
Dia do Correio Aéreo Nacional
U.S. Air Force photo

Os voos dos primeiros aviões despertaram o interesse de todos os países, sobretudo dos militares, que começaram a antever o emprego das novas máquinas para fins bélicos. Nossa Marinha, desde 1908, já pensava na criação de um serviço de aviação. A primeira escola de aviação naval brasileira foi fundada em 1913. Dois anos depois, ocorreu a primeira ação bélica da aviação no Brasil, na Campanha do Contestado. Em 1916, estabeleceu-se a base aeronaval da Ilha das Enxadas.

Os estabelecimentos de ensino tiveram, na ocasião, orientação de instrutores franceses, que participaram também da criação do Serviço Aéreo do Exército. Em 1920, a Aviação Naval e a Aviação da Força Pública de São Paulo utilizaram seus aviões para transportar cartas e mensagens.

Sob a liderança do major Eduardo Gomes, um grupo de oficiais da Aviação Militar do Exército criou o primeiro serviço regular de correio aéreo. A primeira viagem aérea do correio foi feita em 12 de junho de 1931, pelos tenentes Casimiro Montenegro Filho e Nélson Freire Lavenére-Wanderley, entre Rio de Janeiro e São Paulo.

Desse modo, foi inaugurado o Serviço Postal Aéreo Militar, conhecido mais tarde como Correio Aéreo Militar (CAM), hoje Correio Aéreo Nacional (CAN). A aviação militar e a naval foram reunidas em uma força autônoma em 1941, recebendo o nome de Força Aérea Brasileira (FAB). Desde 1995, o CAN tem coordenado suas atividades de transporte com a Marinha do Brasil.

O serviço postal contribuiu para o crescimento e a transformação histórica do País, visto que os principais fatos históricos estão ligados à sua implementação e ao seu desenvolvimento.

A FAB não só coopera com as demais forças armadas na garantia dos poderes constitucionais, da ordem legal e da integridade das fronteiras, mas também assegura buscas e salvamentos aéreos e executa os serviços do CAN. Essas atribuições foram enriquecidas com a experiência e o idealismo do brigadeiro Eduardo Gomes, que, muito antes de ingressar na FAB como oficial de gabinete do ministro da Guerra, defendia a ideia do Correio Aéreo Militar.

O brigadeiro Eduardo Gomes tornou-se um personagem lendário das Forças Armadas. Carioca, nascido em 20 de setembro de 1896, filho de um ex-militar da Marinha, teve uma infância pobre. Católico fervoroso, não passava um dia sequer sem ir à missa. Mesmo nas viagens longas, acordava os comandados e saía à procura de uma capela. “Não podemos deixar de rezar”, dizia. Antes de morrer, em junho de 1981, tornou-se público seu único e grande segredo: sempre doou grande parte de seu salário a instituições carentes que acolhiam crianças abandonadas.

Retirado do livro: “Datas comemorativas cívicas e históricas”, Paulinas Editora.