Fundo
Quarta-feira, 19 de Junho de 2019
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 12/06/2019

10ª Semana do Tempo Comum - Ano C - Verde
1ª Leitura: 2Cor 3,4-11 Salmo: Sl 98(99) - Porque santo é o Senhor, nosso Deus.
evangelho
O menor no Reino dos Céus - Mt 5,17-19

“Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para cumprir. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo aconteça. Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar os outros, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.”

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Por meio da escuta e meditação da Palavra, renovemos o nosso compromisso de sermos promotores do Reino de paz, justiça e fraternidade. Deixemo-nos conduzir pela ação do Espírito Santo que reza em nós, dizendo: Ó divino Espírito, ensina-me tudo quanto Jesus ensinou. Dá-me inteligência para entender; memória para lembrar; vontade dócil para praticar e coração generoso para corresponder aos teus convites. Amém.

Leitura (Verdade)

Leia o texto. Retome novamente cada palavra e procure compreender seu significado. Qual a importância da Lei e dos Profetas? O que significa o Reino de Deus?
“O modo como Jesus interpreta e põe em prática a lei de Moisés levou muitos de seus contemporâneos a pensar que ele abolia toda a Escritura (a Lei e os Profetas). Certamente, esse juízo se estendeu, ao menos, no embate com o judaísmo rabínico do primeiro século, para a primeira geração de cristãos. Nossa perícope visa dirimir o equívoco. Em Jesus, toda a Escritura encontra a sua realização e no Ressuscitado, a sua luz e o seu sentido pleno. Para o cristão que lê essas linhas do evangelho é dado um critério de interpretação do Antigo Testamento: é a partir de Jesus Cristo que a lei e os Profetas devem ser lidos, pois apontam para Ele. Para o cristão, a Lei é pensada a partir do mistério de Jesus Cristo. A centralidade de Jesus Cristo faz com que a exigência primordial do amor e da misericórdia se imponham como condição de autenticidade ou não de determinada interpretação e prática da Lei. O que tem precedência sobre quaisquer outras prescrições legais é o mandamento do amor (cf. Lc 10,25-37). Desse modo, para o cristão a lei de Moisés é válida enquanto ela passa pela interpretação de Jesus” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

Trazendo a meditação da Palavra para a nossa vida, podemos então pensar: Reconheço que o Reino de Deus está em nosso meio? Preciso de sinais espetaculares para crer no Reino de Deus? Em quais gestos de Jesus reconheço o Reino de Deus acontecendo? E de que forma o Reino de Deus continua acontecendo hoje, em nossa vida, em nossa sociedade? Permita alguns instantes de silêncio, escute profundamente esta Palavra e deixe que o Senhor lhe fale ao coração.
“Mandamento não é imposição, mas um projeto de santificação. Deus não impõe, propõe. Quando começamos a olhar os mandamentos como cerceamento da liberdade pessoal, tomamos o pior rumo possível para nossa vida. Os mandamentos expressam o cuidado de Deus pela vida, pelas relações, pela sociedade, pelo crescimento pessoal e comunitário. É uma vida pautada na ética. Assim, Jesus não veio para abolir a lei e os profetas, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Jesus não foi um subversivo, mas um homem totalmente obediente à vontade do Pai. Portanto, quem quiser ser grande aos olhos de Deus, viva e pratique seus ensinamentos, seus mandamentos. A plenitude da lei é o amor” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)

Em sua oração, apresente ao Senhor as diversas realidades presentes na sociedade. E após cada pedido reze: Venha a nós o vosso Reino! Conclua com a oração que Jesus nos deixou, o Pai nosso.

Contemplação (Vida e Missão)

Com a Palavra na mente e no coração, qual atitude me proponho a viver no dia de hoje?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

O evangelista São Mateus não desvincula Jesus da Primeira Aliança. Ele não veio abolir a Lei e os Profetas. O que está nas Escrituras Sagradas é para ser cumprido e ensinado. Quem assim proceder, será considerado grande no Reino dos Céus. Jesus veio cumprir o que está escrito. Evidentemente, Jesus tem a sua compreensão do que está escrito, que nem sempre coincide com a compreensão dos Mestres da Lei, tanto da Primeira quanto da Nova Aliança. Sem romper com o passado, a atitude de Jesus mostra a importância e as dificuldades das interpretações. Os Mestres da Lei de todos os tempos não podem anular o que é vontade de Deus com os seus preceitos e suas hermenêuticas. A expressão “Lei e Profetas” significa toda a Sagrada Escritura do Antigo Testamento. Dizer que Jesus não veio abolir as Escrituras antigas significa que elas devem ser conhecidas, praticadas e ensinadas. Assim está escrito: “Quem praticar os mandamentos e os ensinar, será considerado grande no Reino dos Céus”. Ler a Bíblia e meditá-la, Antigo e Novo Testamento, faz parte do programa diário do cristão. Para compreender o Novo Testamento é preciso conhecer o Antigo. Antigo não quer dizer ultrapassado ou abolido. Antigo Testamento significa Primeira Aliança, a que Deus fez com o povo de Israel e que perdura até hoje.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.