Fundo
Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 11/10/2018

27ª Semana do Tempo Comum - Ano B - Verde
1ª Leitura: Gl 3,1-5 Salmo: Lc 1,69-75 - Bendito seja o Senhor Deus de Israel!
evangelho
Pedi e vos será dado, procurai e encontrareis - Lc 11,5-13

E Jesus acrescentou: “Imaginai que um de vós tem um amigo e, à meia-noite, o procura, dizendo: ‘Amigo, empresta-me três pães, pois um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’. O outro responde lá de dentro: ‘Não me incomodes. A porta já está trancada. Meus filhos e eu já estamos deitados, não posso me levantar para te dar os pães’. Digo-vos: mesmo que não se levante para dá-los por ser seu amigo, vai levantar-se por causa de sua impertinência e lhe dará quanto for necessário. Portanto, eu vos digo: pedi e vos será dado; procurai e encontrareis; batei e a porta vos será aberta. Pois todo aquele que pede recebe; quem procura encontra; e a quem bate, a porta será aberta. Algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu saberá dar o Espírito Santo aos que lhe pedirem!”

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Celebramos hoje a memória litúrgica de São João XXIII, conhecido como o Papa Bom. Guiados pela Palavra de Deus, vamos ao encontro do Senhor, que nos convida a crescer na fé e a reconhecer que Deus é um Pai atento e generoso diante das súplicas de seus filhos.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto? Faça a leitura do Evangelho repetindo as palavras que mais chamarem sua atenção. Qual é o tema central da narrativa? Qual convite o Senhor nos faz? Por que a necessidade da oração?
“A parábola precisa ser interpretada dentro do contexto literário em que ela está inserida, pois, do contrário, estará sujeita às mais variadas interpretações. A parábola de hoje está estritamente ligada ao tema do específico da oração cristã. Ela exemplifica a oração que Jesus ensinou seus discípulos a rezar. Tomada no seu conjunto, a parábola exorta à necessidade de perseverar na súplica por aquilo que é essencial para a vida cristã e humana. Em primeiro lugar, a parábola revela algo de Deus: Deus é muito mais generoso e disponível do que um amigo que socorre o outro ou um pai de família que supre as necessidades dos seus filhos. A perseverança na súplica, requerida do discípulo, é importante, pois somente Deus pode dar aos seus filhos o que realmente eles precisam. Tudo o que é bom é dom de Deus. A súplica, no entanto, exige a confiança de ser atendido. Mas cabe observar que na súplica a Deus confessamos nossa miséria. É preciso abertura para receber não somente o que pedimos, mas o que Deus tem a nos dar. No entanto, na oração do cristão há uma súplica que se impõe como característica de sua relação filial com Deus e à qual podemos ter a certeza de sermos atendidos: a súplica pelo Espírito Santo” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

“Na vida de fé, só obtém os benefícios espirituais quem persevera. Os que facilmente se deixam abater pelos ‘nãos’ e pelas portas fechadas não lograrão êxitos em suas buscas. No Evangelho, Jesus fala da necessidade de insistir naquilo que se quer, mesmo que as circunstâncias digam o contrário. Por exemplo, chamar o amigo de madrugada para pedir pão emprestado. Só por causa da impertinência, recebeu a quantidade de pães necessária. O que Deus tem para nos dar não passa pelo material, necessariamente, mas nos dará o Espírito Santo. É o que devemos pedir sempre, o Espírito do Senhor. As outras coisas virão por acréscimo. Nunca desistir da oração!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)

Permaneça por alguns instantes em silêncio e reflita sobre sua vida à luz da Palavra de Deus que foi meditada. Com fé e confiança, eleve ao Senhor a sua oração, recordando suas palavras: “Pedi e recebereis, procurai e encontrareis, batei e vos será aberto...”.

Contemplação (Vida e Missão)

Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe a viver hoje? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

Continuando a falar sobre a oração na segunda etapa da subida a Jerusalém, Jesus ensina que a oração deve ser insistente e perseverante. Deus sempre atende a oração, mas do seu modo. Do nosso modo, seria impossível atender ao que pedimos. Uma janela pode ser ocasião de desentendimento. Eu a quero fechada e o outro a quer aberta. Peço a Deus chuva e o outro pede sol. Como faria Deus para atender aos nossos pedidos contraditórios? São Lucas tem a solução. Deus não dá coisas, nem coisas boas. Ele dá o Espírito Santo. Ao receber o Espírito Santo, recebemos o amor, e o amor desenvolve a solidariedade. Solidários, nos tornamos criativos e procuramos nós mesmos soluções para os problemas humanos. E onde fica Deus nisso tudo? Deus é o Amor derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.