Fundo
Segunda-feira, 27 de Maio de 2019
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 15/03/2019

1ª Semana da Quaresma - Ano C - Roxa
1ª Leitura: Ez 18,21-28 Salmo: Sl 130(129) - Se consideras as culpas, Senhor, quem pode aguentar?
evangelho
Vai primeiro reconciliar-te com teu Irmão - Mt 5,20-26

“Eu vos digo: Se vossa justiça não for maior que a dos escribas e dos fariseus, não entrareis no Reino dos Céus. Ouvistes que foi dito aos antigos: ‘Não cometerás homicídio! Quem cometer homicídio deverá responder no tribunal’. Ora, eu vos digo: todo aquele que tratar seu irmão com raiva deverá responder no tribunal; quem disser ao seu irmão ‘imbecil’ deverá responder perante o sinédrio; quem chamar seu irmão de ‘louco’ poderá ser condenado ao fogo do inferno. Portanto, quando estiveres levando a tua oferenda ao altar e ali te lembrares que teu irmão tem algo contra ti, deixa a tua oferenda diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão. Só então, vai apresentar a tua oferenda. Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto ele caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. Em verdade, te digo: dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo.”

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Jesus hoje nos convida à reconciliação fraterna e nos mostra quão exigente é este caminho. Peçamos ao Espírito Santo as graças necessárias para bem compreendermos os ensinamentos de Jesus: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Oremos: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto bíblico? Leia o Evangelho atentamente e procure compreender seu contexto: lugares, pessoas e acontecimentos. Quais são as palavras ou gestos de Jesus? Quem são os destinatários de sua mensagem? Qual tema perpassa o texto? Depois, faça uma nova leitura, detendo-se nas palavras que mais chamaram sua atenção, e dedique alguns instantes de silêncio para compreendê-las melhor.
“Nesse itinerário quaresmal, é importante para todos os cristãos crescer na consciência do que é específico da vida cristã. Nosso evangelho de hoje é de grande ajuda para tal. Ele apresenta um modo de agir que supera o legalismo de colorido farisaico, que torna a pessoa prisioneira da letra. Somente o amor pode levar a superar o legalismo; amor que nos torna compassivos e misericordiosos como Deus é misericordioso (cf. Lc 6,36). Não se trata simplesmente da interdição de tirar a vida de alguém (cf. Ex 20,3; Dt 5,7), mas é proibido, na nova lei, depreciar o semelhante dando a ele títulos ofensivos. Não é somente a morte física que é visada na interdição, mas toda ofensa moral cometida contra o irmão (v. 22). Ao contrário, ao discípulo Jesus impõe a exigência de reconciliação. A reconciliação é condição para a oferta de um verdadeiro sacrifício de louvor. Nós poderíamos dizer, a reconciliação é o sacrifício que agrada a Deus; ‘é a misericórdia que eu quero’, diz Deus (cf. Os 6,6). O esforço de reconciliação requerido e visado nesta antítese é uma explicitação da bem-aventurança da mansidão (5,4). ‘Manso’ (cf. Sl 37,11), em hebraico, corresponde a ‘pobre’; entenda-se, pobre de espírito (cf. 5,3), isto é, aquele que reconhece e acolhe o Reino de Deus como dom” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz a você hoje? Relembre outros textos em que Jesus fala da justiça, da relação com os irmãos, da misericórdia, da reconciliação... Qual palavra do Evangelho encontrou profunda sintonia com a sua vida, com suas atitudes? Em seu trabalho e em seu relacionamento com as pessoas, como você vive as orientações apresentadas por Jesus? Quais sentimentos o texto desperta em você? Sintetize em poucas palavras o apelo que a Palavra de Deus desperta em seu coração.
“Jesus deixa um legado ético para os seus discípulos que seria a base de todo o humanismo cristão: o cuidado irrestrito pela vida. As palavras e gestos de Jesus demonstravam seu zelo pela vida, e não pelas leis de sua época, que defendiam a vida, por vezes, de forma equivocada. Era a pessoa humana que o interessava, fosse pecador, prostituta, cobrador de impostos, doentes, impuros; toda vida tinha valor imensurável para Jesus. Por isso, era tão incompreendido pelos religiosos e autoridades de sua época, que tinham outra ética distinta. Para Jesus, ninguém devia brincar com a vida do outro. Era inadmissível qualquer tipo de bullying. A vida é para ser respeitada” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)

Este é o momento do diálogo direto com Deus. Apresente ao Senhor a oração que brotou em seu coração. Peça também a graça de buscar a reconciliação e de saber dar o perdão sem medidas. Reze pelos povos em conflitos, pelas famílias que não vivem o amor e o perdão, pelas pessoas que não conseguem perdoar...

Contemplação (Vida e Missão)

O encontro com a Palavra, fonte de vida, gera novas relações e recria comunhão. Com a Palavra na mente e no coração, qual gesto você se propõe a viver hoje?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

A morte de Jesus nos faz valorizar a vida e levar às últimas consequências o mandamento que nos manda “não matar”. Não matar significa respeitar a vida em todas as suas etapas, do início ao fim, tanto a própria quanto a alheia. A sociedade humana conhece muitas maneiras de matar, com as mãos, com as armas, com a língua. E sabe também por experiência que a violência gera violência, num mecanismo sem fim de repetição. Algo novo precisa ser introduzido no relacionamento violento entre os seres humanos. É preciso introduzir a reconciliação. Para que ela seja real e efetiva, Jesus ensina que nós mesmos devemos tomar a iniciativa da reconciliação. Quando for rezar, verifique se alguém tem alguma queixa contra você e tome logo a iniciativa da reconciliação.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.