Fundo
Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 20/02/2018

1ª Semana da Quaresma - Ano B - Roxa
1ª Leitura: Is 55,10-11 Salmo: 34(33) - O Senhor está perto de quem tem o coração ferido.
evangelho
A oração ao Pai - Mt 6,7-15

Quando orardes, não useis de muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. Não sejais como eles, pois o vosso Pai sabe do que precisais, antes de vós o pedirdes. Vós, portanto, orai assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, como no céu, assim também na terra. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos que nos devem. E não nos introduzas em tentação, mas livra-nos do Maligno. De fato, se vós perdoardes aos outros as suas faltas, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos outros, vosso Pai também não perdoará as vossas faltas.

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª Ed. 2002
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Nesta caminhada quaresmal, guiados pela Palavra de Deus, somos convidados por Jesus a refletir sobre a oração. Coloquemo-nos diante das palavras com que Ele mesmo se dirigiu ao Pai e que ensinou aos seus discípulos.
Deixe-se conduzir pela ação do Espírito Santo, que reza em nós dizendo: “Ó divino Espírito, ensina-me tudo quanto Jesus ensinou. Dá-me inteligência para entender; memória para lembrar; vontade dócil para praticar; coração generoso para corresponder aos teus convites. Amém.”

Leitura (Verdade)

Faça uma leitura do texto. Em seguida, proclame a oração do Pai-Nosso pausadamente, procurando acolher cada palavra. O que o texto diz a você? Qual expressão mais chamou sua atenção?
“A oração tipicamente cristã não se faz por muitas palavras; ela exige fundamentalmente escuta. As palavras devem traduzir o essencial da relação do ser humano com Deus. A vida em Cristo exige a renúncia da hipocrisia, que, por sua vez, é um contratestemunho. Não é a oração que é posta em questão, mas o modo de fazê-la, uma maneira que faz dela expressão da vaidade humana. Deus conhece o coração de cada um, antes mesmo que as palavras cheguem à boca. Diante dele a multiplicação de palavras é inútil. Ademais, essa multiplicação de palavras é expressão da pressão exercida sobre Deus para conseguir algo dele. O que Deus concede ao seu povo é fruto de seu amor e de sua bondade, e não de merecimento de quem quer que seja. A oração do Senhor é, para o discípulo, referência no modo de relacionar-se com Deus. Essa oração exprime, em primeiro lugar, a centralidade de Deus e o engajamento filial do discípulo com relação ao Pai. Em seguida, o discípulo consciente de sua condição suplica pelo que deve sustentá-lo na vida cotidiana: pão e perdão. Por fim, como o mal está sempre diante do ser humano, o cristão pede, pela graça de Deus, para não ser envolvido pelo poder da tentação, mas liberto de todo mal” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz a você hoje? Qual é a importância da oração em sua vida? Como é seu relacionamento com Deus na oração? Você tem tempo para Deus? Tem necessidade da oração, da intimidade com Deus?
Compreendemos, portanto, que a oração não é algo superficial para o discípulo, mas precisa estar no centro de sua vida. Também Jesus dedicava momentos para o encontro com o Pai, retirava-se para rezar. É pela oração, pelo encontro com o Senhor, que vamos modelando a nossa vida conforme a vida de Jesus. Na oração, colocamo-nos livres, abertos, confiantes, despojados diante de Deus, que nos acolhe com infinito amor porque nos conhece profundamente e sabe do que temos necessidade. Ao mesmo tempo, nos dispomos para acolher a sua vontade em nossa vida.

Oração (Vida)

Para o papa Francisco, “a oração é a respiração da alma: é importante encontrar momentos do dia para abrir o coração a Deus, mesmo com simples e breves orações do povo cristão”. Qual oração você deseja dirigir a Deus neste momento? Pedido, agradecimento, louvor... Reze a oração que Jesus nos ensinou, o Pai-Nosso.

Contemplação (Vida e Missão)

Ao longo deste dia, dedique um tempo para seu encontro com Deus na oração.

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

Quaresma é tempo de oração. A oração que Jesus nos ensina é o Pai-Nosso. O caminho que Jesus nos propõe é simples e prático. Seu mandamento é o amor mútuo. Sua oração é o Pai-Nosso. Santificamos o Nome de Deus que está no céu, desejamos o seu Reino e realizamos a sua vontade. Pedimos o pão de cada dia e pedimos o perdão. Pedimos ainda não cair na tentação do Maligno. Podemos rezar uma vez todo o Pai-Nosso e ao longo do dia repetir uma das suas frases: “Não nos deixeis cair em tentação”; “Livrai-nos do mal”; “Perdoai as nossas ofensas”, e assim por diante. Não precisamos de muitas palavras, diz o Evangelho. Não é preciso multiplicar as devoções. No entanto, como somos pessoas concretas, que vivemos num tempo e num espaço, convém participar dos exercícios da Quaresma e procurar momentos de oração silenciosa e meditação da Palavra de Deus nas Escrituras. A oração silenciosa em grupo diante do Santíssimo é unitiva. Une as pessoas que em suas diferenças se encontram olhando para o mesmo fim.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.