Fundo
Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 02/12/2018

1º Domingo do Advento - Ano C - Roxa
1ª Leitura: Jr 33,14-16 Salmo: 25(24) - O Senhor indica aos pecadores o caminho certo. 2ª Leitura: 1Ts 3,12 – 4,2
evangelho
A vossa libertação está próxima... - Lc 21,25-28.34-36

“Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, apavoradas com o bramido do mar e das ondas. As pessoas vão desmaiar de medo, só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as potências celestes serão abaladas. Então, verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem, com grande poder e glória. Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima. Cuidado para que vossos corações não fiquem pesados por causa dos excessos, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós, pois cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra. Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de conseguirdes escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes de pé diante do Filho do Homem.”

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Com a liturgia de hoje, primeiro domingo do Advento, iniciamos o novo ano litúrgico. Peçamos a graça de viver este tempo com fé atenta e vigilante e preparemo-nos para acolher o Senhor que vem.
Oremos: “Espírito de oração vigilante, conserva-me em estado de contínuo alerta, a fim de que eu me prepare, pela vivência do amor, para a chegada do Cristo que vem. Amém.”

Leitura (Verdade)

Faça uma leitura atenta do texto. Observe os sinais presentes na narrativa. O que esses sinais indicam? Quais exortações são dirigidas à comunidade cristã, segundo o evangelista?
“Estamos começando este tempo de graça que é o advento, tempo de preparação para a vinda do Senhor. Este tempo de preparação nos ajuda a bem celebrar o nascimento de Jesus e nos prepara para a sua vinda gloriosa. Por este motivo, o evangelho de hoje fala mais da segunda vinda de Cristo do que da primeira. Pensava-se que a segunda vinda de Cristo seria iminente. O atraso da parusia criou uma situação de frustração, comodismo e laxismo no seio da comunidade cristã. Lucas vai corrigir essa ideia, propondo viver as vicissitudes do tempo presente como lugar aberto ao testemunho dos cristãos. [...] Na continuidade do discurso escatológico, discurso sobre o fim, isto é, sobre o que é definitivo, Jesus conta a parábola da figueira, que é a ilustração do dito no versículo 28. A fé e a esperança que brotam da fé permitem que se possa levantar a cabeça. Nossa condição de cristãos, enquanto peregrinos neste mundo, é viver na esperança. A esperança não é simplesmente um bom desejo para o futuro, mas a experiência de viver a vida apoiada na palavra e no destino final de Jesus Cristo, que venceu o mal e a morte. O conteúdo próprio da esperança cristã é a participação no destino final do Senhor. Mais uma vez, a conclusão dessa breve parábola exorta à confiança no que não passa, no que dá firmeza e sustenta a esperança, a saber, a palavra de Jesus. Para o fiel cristão é preciso, mesmo nas situações mais dramáticas da existência humana, experimentar, ao menos saber, que o Senhor está perto e manter o olhar fixo nele, pois é dele que nos vêm o auxílio e a proteção; é ele nosso refúgio e fortaleza” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

“Com o Advento, iniciamos um novo tempo no ciclo litúrgico da nossa Igreja. Beberemos das fontes do Evangelho de São Lucas ao longo dos domingos. Celebraremos as duas vindas de Jesus: a da carne e a gloriosa. No Evangelho de hoje, não podemos ficar impressionados com a ideia de destruição e de catástrofes, mas devemos pensar na transformação da vida no final dos tempos, sem, contudo, perder o chão da nossa realidade, dos nossos desafios, das mudanças urgentes em nossos contextos políticos, econômicos, sociais etc. Guardemos a mística desse tempo com o prefácio I do Advento: ‘Revestido de sua glória, ele virá uma segunda vez para conceder-nos em plenitude os bens prometidos que hoje, vigilantes, esperamos.’” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)

Ofereça ao Senhor os frutos da sua oração, meditação e contemplação da Palavra. Apresente o desejo que brotou em seu coração e peça a graça de vivê-lo durante o dia. Faça sua prece de agradecimento ou pedido.
Conclua com a oração: “Senhor, nosso Deus, abri o nosso coração ao Cristo que vem. Acolhei as nossas preces e as nossas disposições para bem celebrarmos este tempo do Advento. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)

Com quais disposições você deseja viver este tempo litúrgico? Qual apelo a Palavra hoje lhe faz?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

O Sagrado Tempo do Advento que hoje iniciamos, como uma pessoa que fala, assim nos exorta: “Levantem a cabeça e olhem para cima. Está próxima a libertação. Vejam o Filho do Homem vindo numa nuvem com grande poder e glória. Descendente de Davi, ele vem fazer valer a lei e a justiça na terra. Judá será salvo e Jerusalém terá uma população confiante. Estejam atentos e rezem para poder ficar de pé diante do Filho do Homem, quando ele vier com todos os seus santos. Cuidado! Que seus corações não estejam pesados e façam vocês caírem. É preciso estar de pé quando ele vier. Cuidado então com os excessos da embriaguez e as preocupações da vida! Não tornem elas insensíveis os seus corações. Coração insensível já não sente, não se percebe nem percebe os outros. É de pedra. Que Deus lhes conceda poderem crescer no amor fraterno. Procurem ser santos sem defeitos aos olhos de Deus. Não fiquem parados. Façam progressos”.
Antes que o Senhor venha, passaremos todos por um tempo de tribulação. Não sabemos nem o dia, nem a hora, nem como será, por isso imaginamos. Com o auxílio da linguagem chamada apocalíptica, vemos sinais no sol, na lua, nas estrelas, vemos as potências celestes serem abaladas, e as pessoas com medo ao ouvir o bramido do mar e das ondas. Todas essas coisas não são para nos assustar. São sinais de que a nossa libertação está próxima. [...]

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.