Fundo
Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 04/11/2018

Solenidade de Todo os Santos - Ano B - Branca
1ª Leitura: Ap 7,2-4.9-14 Salmo: 24(23) - Do Senhor é a terra com o que ela contém. 2ª Leitura: 1Jo 3,1-3
evangelho
Os discípulos aproximaram-se, e ele começou a ensinar... - Mt 5,1-12a

Vendo as multidões, Jesus subiu à montanha e sentou-se. Os discípulos aproximaram-se, e ele começou a ensinar: “Felizes os pobres no espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Felizes os que choram, porque serão consolados. Felizes os mansos, porque receberão a terra em herança. Felizes os que têm fome e sede da justiça, porque serão saciados. Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. Felizes os puros de coração, porque verão a Deus. Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus. Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus. Felizes sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque é grande a vossa recompensa nos céus. Pois foi deste modo que perseguiram os profetas que vieram antes de vós”.

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Solenidade de Todos os Santos e Santas. A liturgia de hoje é festiva para todos os fiéis, pois nossa vocação comum é a santidade. O Evangelho das bem-aventuranças nos coloca no caminho concreto para a transformação deste mundo em um mundo de fraternidade, justiça e paz.
Rezemos: “Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração através da fé e confiança que eu deposito em ti. Amém”.

Leitura (Verdade)

O que diz o texto? Liste as nove bem-aventuranças presentes no Evangelho de hoje. A quem Jesus está instruindo? Qual é o seu ensinamento?
“A festa de todos os santos e santas de Deus é uma comemoração antiga na Igreja. No século II, a Igreja já celebrava a memória dos seus mártires para que, inspirados por seu testemunho, os fiéis pudessem se manter firmes no testemunho de Jesus Cristo. É uma festa para todos os fiéis, pois nossa vocação comum é a santidade. A primeira bem-aventurança é o fundamento de todas as demais: ‘Bem-aventurados os pobres em espírito porque deles é o reino dos céus’. No ser humano, há um espírito que ele recebeu de Deus, que o chamou à existência (Gn 2,7). A pobreza de espírito é em relação a Deus, isto é, diante de Deus o ser humano se encontra ‘desnudo’. Para o discípulo, viver essa realidade de maneira concreta é assumi-la com o coração puro, experimentá-la no mais profundo do ser, lá onde aflora a presença de Deus. Nesse sentido, as bem-aventuranças são um apelo a viver a vida em referência a Deus e na esperança de que a recompensa vem do alto. Não há nenhum espaço para a passividade, pois o Espírito que age em nós nos conduz a um compromisso efetivo com o Reino de Deus. A perspectiva escatológica de cada bem-aventurança é o fundamento da vida moral, do agir concreto do cristão no mundo. As bem-aventuranças, gênero literário bastante atestado no Antigo Testamento, fazem parte do longo discurso denominado sermão da montanha (Mt 5–7)” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz a você hoje? Com qual bem-aventurança você mais se identifica? Trazendo o texto para os nossos dias, quem são os pobres no espírito? Quem são os que choram, os mansos, os que têm fome e sede de justiça? Quem são os misericordiosos, os puros de coração, os que promovem a paz, os que são perseguidos por causa da justiça? O que Jesus pede a você hoje? Quais sentimentos a Palavra despertou em seu coração?

Oração (Vida)

Ao Senhor entregamos a nossa vida e este novo dia. A Ele confiamos as pessoas que amamos e todas aquelas com as quais partilharemos a vida. Agradeçamos ao Senhor seus ensinamentos. Rezemos: “Senhor Jesus, concede-me crer firmemente no amor que Tu me revelaste e que doaste no teu Evangelho. Faze que eu ouça cada dia a tua voz que me chama a seguir-te para sentir sempre em mim os benefícios da tua redenção. Amém” (São João Paulo II).

Contemplação (Vida e Missão)

Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude você se propõe viver hoje?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

Celebramos hoje, numa só festa, os méritos de todos os Santos. O Senhor se dirigiu a Moisés e mandou que dissesse a toda a comunidade de Israel: “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo”. Assim lemos no Levítico, e ouvimos novamente Pedro, em sua primeira carta: “Como é santo aquele que vos chamou, tornai-vos também vós santos em todo o vosso comportamento, porque está escrito: ‘Sede santos, porque eu sou santo’”.
Os Santos não são apenas chamados de filhos de Deus. Eles o são de fato. Levaram a sério o que ouviram e praticaram o que lhes foi ensinado. Procuraram o que estava a seu alcance, se não a perfeição do Pai, ao menos a sua misericórdia. Ouviram que deviam ser santos como o Pai é santo e decidiram sê-lo. São estes os santos e as santas que hoje celebramos. Homens e mulheres deste mundo, membros de nossas comunidades, limitados como qualquer ser humano, que não tornaram sua limitação empecilho na busca da santidade de Deus. Ao contrário, mostraram a glória de Deus na sua limitação, porque para Deus nada é impossível.
Estes homens e estas mulheres levaram a sério o seguimento de Jesus Cristo, levaram a sério a sua vida cristã. Na Igreja Católica são considerados heróis e heroínas por terem vivido de forma heroica as virtudes teologais da fé, da esperança e da caridade, assim como as virtudes cardiais da prudência, da justiça, da fortaleza e da temperança. O exame de suas vidas mostra que são de fato servos de Deus com a fronte marcada com o selo de Deus. Isto seria suficiente para terem sua memória honrada entre nós. No entanto, damos-lhes ainda o título de “santos” pela sua proximidade com Aquele que é o único Santo. Tal proximidade com Deus se vê nas graças extraordinárias que Deus nos concede pela intercessão dos santos e das santas. São os milagres que só Deus pode fazer, e faz se quer e quando quer, ouvindo o pedido que lhe fazem os santos, a exemplo de Maria, que nas bodas de Caná disse a Jesus: “Eles não têm mais vinho”, ou à semelhança de Ester, que pediu ao rei a vida para o seu povo.
Os anjos marcaram com o selo divino a fronte dos que eram servos de Deus, e Jesus beatificou, declarando felizes os que são pobres em espírito, os que choram, os mansos, os que têm fome e sede da justiça, os misericordiosos, os puros de coração, os que promovem a paz, os que são perseguidos por causa da justiça; e de modo particular os que forem injuriados e perseguidos por causa dele. Gente que vale a pena!

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.