Fundo
Domingo, 23 de Janeiro de 2022
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 03/12/2015

S. Francisco Xavier, memória - Ano C - Branca
1ª Leitura: Is 26,1-6 Salmo: Sl 118 (117) - Bendito o que vem em nome do Senhor.
evangelho
A casa construída sobre a rocha - Mt 7, 21.24-27

Nem todo aquele que me diz: “Senhor! Senhor!”, entrará no Reino dos Céus, mas só aquele que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus. Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática é como um homem sensato, que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas a casa não desabou, porque estava construída sobre a rocha. Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e ela desabou, e grande foi a sua ruína!

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

A imagem do homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha é utilizada por Jesus para exemplificar a atitude de todo aquele que alicerça a vida em sua Palavra. Acolhendo a Palavra de Deus, tenhamos a certeza de que estamos construindo a nossa vida sobre bases seguras e que as tempestades não poderão abalar.
Rezemos: Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.

Leitura (Verdade)

O que diz o texto? Quais imagens estão presentes na narrativa? Quais comparações Jesus utiliza para falar daqueles que escutam a sua Palavra? Quais elementos são fundamentais para que uma construção tenha firmeza e segurança?

“Com este texto, Mateus encerra o Sermão da Montanha, no qual, a partir das bem-aventuranças, Jesus proclama o programa a ser vivido no Reino dos Céus. Por três vezes, é repetida a expressão ‘põe em prática’, referindo-se à vontade do Pai. Para ilustrar a importância desta prática, Jesus apresenta a parábola dos dois homens que construíram suas casas.
Construir a casa é construir a própria vida: quando é construída em conformidade com a vontade do Pai, sobre a rocha, na solidariedade e no serviço, ela suporta as tempestades das adversidades e permanece para sempre; quando é construída sobre a areia, baseada em anseios e interesses voltados aos valores mundanos sob o controle do dinheiro, ela não suporta os reveses e arruína-se.
Este tema apresentado por Mateus é um dos mais dominantes no evangelho de João. Pôr em prática a vontade do Pai é estar em comunhão de amor e vida com os irmãos, pelo que se vive em comunhão com Jesus e o Pai.” (Reflexão de José Raimundo Oliva, em ‘A Bíblia dia a dia’, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que diz o texto para mim hoje? Como acolho os ensinamentos de Jesus em minha vida? Quais alicerces sustentam a minha vida, meus projetos, meus objetivos? Escuto as palavras de Jesus e as coloco em prática? Qual é o convite que o Senhor me faz?

"Esta figura da rocha se refere ao Senhor. (...) A rocha é Jesus Cristo! A rocha é o Senhor! Uma palavra é forte, dá vida, pode ir em frente, pode resistir a todos os ataques, se tem suas raízes em Jesus Cristo. Uma palavra cristã que não tem suas raízes vitais, na vida de uma pessoa, em Jesus Cristo, é uma palavra cristã sem Cristo! E as palavras cristãs sem Cristo enganam, fazem mal!” (Papa Francisco)

Oração (Vida)

Contemplação (Vida e Missão)

É o momento de responder à presença de Deus em nossa vida com um compromisso, um gesto concreto. De que forma desejo colocar em prática os apelos que a Palavra de Deus me despertou neste dia?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Equipe de Redação Paulinas Internet

A comunidade cristã é caracterizada, fundamentalmente, por sua união com Deus, pela escuta da palavra de Jesus Cristo e por viver essa palavra. Nosso texto é o trecho conclusivo do sermão da montanha (Mt 5–7). Não são as muitas palavras ou o louvor estéril que caracterizam a vida do discípulo, mas o seu engajamento afetivo e efetivo em realizar a vontade de Deus. A vida cristã é um modo de viver a existência humana sob o dinamismo da palavra e dos ensinamentos de Jesus.
O que ameaça a credibilidade da vida cristã é a distância entre a palavra e a vida cotidiana, a cisão entre a fé professada e o empenho tênue ou inexistente de se deixar iluminar pela fé em Deus. “Ouvir” é reconhecer que a palavra de Jesus faz sentido e dá sentido a todas as coisas. Para o fiel cristão, a palavra de Jesus contém o mistério do Reino dos Céus que requer, para ser aceito livremente, a pessoa integralmente. É o dinamismo da escuta e prática da Palavra do Senhor que dá solidez à vida de toda a comunidade eclesial. Ouvir somente não basta, é preciso que a palavra se torne carne, isto é, que seja visível e testemunhada na vida de cada membro da comunidade dos discípulos.

Pe. Carlos Contieri, sj, em ‘A Bíblia dia a dia 2015’, Paulinas.