Fundo
Sábado, 19 de Janeiro de 2019
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 19/01/2019

1ª Semana do Tempo Comum - Ano C - Verde
1ª Leitura: Hb 4,12-16 Salmo: 19B(18B) - A lei do Senhor é perfeita.
evangelho
O ensinamento de Jesus é novo e feito com autoridade - Mc 2,13-17

Outra vez, Jesus saiu para a beira do lago. Toda a multidão ia até ele, e ele os ensinava. Ao passar, viu Levi, o filho de Alfeu, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu-o. Enquanto estava à mesa na casa de Levi, muitos publicanos e pecadores puseram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. Pois eram muitos os que o seguiam. Os escribas, que eram fariseus, vendo que ele comia com os pecadores e os publicanos, disseram aos discípulos de Jesus: “Por que ele come com os publicanos e os pecadores?” Tendo ouvido, Jesus respondeu-lhes: “Não são as pessoas com saúde que precisam de médico, mas as doentes. Não é a justos que vim chamar, mas a pecadores”.

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

“Segue-me!” Este é o convite que hoje Jesus nos faz por meio do seu Evangelho. O seguimento é uma atitude concreta de todos que escutam a Palavra de Deus. Não há distinção de pessoas no seguimento de Jesus.
Oremos: “Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, torna-me decidido(a) para seguir os passos de Jesus. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto? Jesus sai para a beira do lago, e mais uma vez a multidão vai ao seu encontro. Ao passar, vê Levi, que era coletor de impostos. Qual a proposta de Jesus para Levi? Qual a atitude de Levi diante da proposta de Jesus? Jesus vai à casa de Levi e lá se põe à mesa com os publicanos e pecadores. Como os escribas reagem ao ver tal atitude de Jesus? Qual a resposta de Jesus diante da reação dos escribas?
“É o segundo relato de vocação no evangelho de Marcos. Por que Jesus chama Mateus, um publicano, um pecador público, portanto, considerado impuro? A resposta: porque ele quis (cf. Mc 3,13). Como os quatro primeiros chamados (Mc 1,16­20), Mateus deixa tudo para seguir Jesus. A refeição oferecida em casa de Mateus a Jesus e seus discípulos, e cuja mesa é partilhada com ‘muitos publicanos e pecadores’, é uma espécie de despedida de Mateus de sua vida anterior ao encontro com Jesus. A partilha da mesa com os que eram considerados impuros é o que escandaliza os escribas e fariseus e põe, para eles, em questão a identidade de Jesus. A ida de Jesus à casa de Mateus faz desmoronar um esquema religioso que exclui as pessoas da comunhão com Deus. Jesus, assim como Deus no Antigo Testamento (Ex 15,26; Dt 32,39 etc.), se apresenta como médico que cura o ser humano das feridas profundas aonde somente ele pode chegar e para as quais somente ele tem o remédio. O episódio é a ocasião em que Jesus define a sua missão: ‘Não é a justos que vim chamar, mas a pecadores’ (v. 17)” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz a você hoje? Qual palavra mais tocou seu coração? O convite de Jesus é rápido e claro, sem rodeios: “Segue-me”. E a resposta de Levi é imediata e firme: “Levantou-se e o seguiu”. Você procura escutar com atenção o chamado que Jesus lhe faz? Sua resposta é firme e imediata? Os pecadores têm um lugar no coração de Jesus. Que lugar ocupam os excluídos da sociedade em seu coração?
“Jesus convida os pecadores públicos para fazer seu seguimento. A vocação de Levi retrata bem esse momento. Coletor de impostos, figura odiada pelo seu povo, encontra misericórdia no coração de Jesus. O convite é rápido e certeiro: ‘Segue-me’. A resposta é imediata e segura: ‘Levantou-se e seguiu-o’. Às vezes, nossa vida cotidiana é muito chata e sem muitas motivações. Mas, quando apuramos nossos ouvidos para o chamado que Jesus nos faz, então a rotina acaba, o marasmo também, e a vida chata é deixada para trás. Quem tem a coragem de seguir Jesus recebe uma graça especial para poder viver, de maneira dinâmica, esse chamamento. Coragem, ele o chama!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)

Maria é a vocacionada do Pai por excelência. Reze uma ave-maria pedindo sua intercessão pelas vocações e por sua vocação.

Contemplação (Vida e Missão)

Qual sua atitude concreta diante do chamado de Jesus: “Segue-me”?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

Jesus sempre ensina. Seu ensinamento é novo, feito com autoridade, e não como os escribas. Os escribas o criticaram quando perdoou os pecados do paralítico e agora o criticam porque está comendo com os pecadores. Jesus viu Levi, cobrador de impostos, e o chamou. Fizeram então uma festa na casa de Levi, com muitos publicanos e pecadores. Jesus estava lá e isso escandalizou alguns escribas, que eram fariseus. Não estavam compreendendo que quem precisa de médico é o doente. Não pensavam que uma aproximação afetuosa podia mudar uma atitude errada. Acreditavam que era melhor manter distância para não se contaminar. A doutrina da pureza impedia-os de ver o ser humano em suas reais necessidades. Ensinavam que o pecador devia ser excluído do convívio dos bons. Não pensavam que os bons podiam se aproximar dos maus e torná-los melhores. Jesus não tinha medo e não se distanciava de ninguém. Não sofria de baixa imunidade espiritual. Podia se sentar com ladrões sem se tornar um deles. O justo e bom não se distancia. Aproxima-se e caminha junto.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.