Fundo
Domingo, 21 de Janeiro de 2018
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 21/01/2018

3º Domingo do Tempo Comum - Ano B - Verde
1ª Leitura: Jn 3,1-5.10 Salmo: 25(24) - Mostra-me, Senhor, os teus caminhos. 2ª Leitura: 1Cor 7,29-31
evangelho
Eu farei de vós pescadores de homens - Mc 1,14-20

Depois que João foi preso, Jesus veio para a Galileia, proclamando a Boa-Nova de Deus: “Completou-se o tempo, e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede na Boa-Nova”. Caminhando à beira do mar da Galileia, Jesus viu Simão e o irmão deste, André, lançando as redes ao mar, pois eram pescadores. Então lhes disse lhes: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. E eles, imediatamente, deixaram as redes e o seguiram. Prosseguindo um pouco adiante, viu também Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão, João, consertando as redes no barco. Imediatamente, Jesus os chamou. E eles, deixando o pai Zebedeu no barco com os empregados, puseram-se a seguir Jesus.

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª Ed.2002
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Liturgia do 3º domingo do Tempo Comum. O primeiro passo para o seguimento de Jesus é a conversão: “Convertei-vos e crede na Boa Nova”. O Evangelho de hoje é um convite a acolher o chamado de Jesus em uma atitude de conversão e liberdade.
Oremos: “Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, ajuda-me a dizer ‘sim’ ao projeto de Deus, com coragem e abandono de tudo aquilo que me impede de segui-lo. Amém.”

Leitura (Verdade)

Leia atentamente o texto. O que diz o Evangelho? Para onde Jesus se dirige após a morte de João? Qual sua missão? Qual a condição para acolher a proposta do Reino? Quem Jesus chama para segui-lo? Quem são os discípulos? O que fazem? O que deixam para viver o seguimento?
“O conteúdo da Boa-Nova é o anúncio do Reino de Deus. Essa é a novidade que os discípulos de Jesus foram desafiados a anunciar aos povos, mesmo lhes custando a vida, e assim o fizeram. Neste Evangelho, vocacional, Jesus chama Simão e André, Tiago e João, que deixaram as redes, imediatamente, e seguiram. Essa prontidão deve inspirar os discípulos missionários de hoje também. Nínive (2ª leitura) é o exemplo de quem está no pecado, ouve a Palavra do Senhor e se converte. Deus teve compaixão deles e não os destruiu. Cuidemos das coisas que não passam, porque as figuras do mundo não permanecem para sempre! Tudo passa, e só Deus é eterno. Aceitemos seu convite, mudemos de vida e fixemos na eternidade” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra 2018”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que diz o texto a você hoje? Medite a palavra que mais tocou seu coração e proponha-se a viver um caminho de conversão. Você crê em Jesus e no seu Evangelho? Jesus vê os discípulos e os chama. Você se permite ser olhado(a) por Jesus? Acolhe o seu chamado? É capaz de deixar tudo para segui-lo?

Oração (Vida)

Reze a oração pelas vocações composta pelo papa Paulo VI: “Jesus, Bom Pastor, suscita em todas as comunidades cristãs sacerdotes e diáconos, religiosos e religiosas, leigos comprometidos e missionários, segundo as necessidades do mundo inteiro, que Tu amas e queres salvar. Te confiamos em particular nossa comunidade: cria em nós o clima espiritual que havia entre os primeiros cristãos, para que possamos ser um cenáculo de oração em amorosa acolhida do Espírito Santo e de seus dons. Assiste a todas as pessoas consagradas. Guia os passos dos que acolheram generosamente teu chamado e se preparam às ordens sagradas ou à profissão dos conselhos evangélicos. Volta teu olhar de amor para tantos jovens bem dispostos e chama-os ao teu seguimento. Ajuda-os a compreender que só em ti podem realizar-se plenamente. Confiando estes grandes interesses de teu coração à poderosa intercessão de Maria, Mãe e modelo de todas as vocações, te suplicamos que sustenhas nossa fé com a certeza de que o Pai concederá o que Tu mesmo mandaste que peçamos. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)

O que esta Palavra o(a) leva a viver? Qual sua reação diante do chamado de Jesus?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Equipe de Redação Paulinas Internet.

Começamos a leitura do Evangelho do ano, escrito por São Marcos, com a apresentação do projeto de Jesus. Ele vem pregar o Evangelho de Deus, isto é, que o tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Devemos nos converter e acreditar no Evangelho. O que significa Evangelho de Deus: tempo que se completa, Reino de Deus? Os termos são claros, mas o conteúdo, não! A resposta se encontra nas palavras e nos gestos de Jesus. Observando o que ele faz e o que ele diz podemos perceber o que significa o Evangelho de Deus com o tempo que se completa e o Reino que se aproxima. Ele anuncia o seu projeto e logo chama companheiros para trabalharem com ele.
Os primeiros chamados no Evangelho de Marcos são Simão Pedro e André, Tiago e João. São chamados para ser pescadores de gente. Antes pescavam peixes, que ao sair da água morriam, e poderão continuar pescando como antes. No entanto, seu tempo agora será dedicado a pescar seres humanos para que não morram. Eles vão trabalhar com Jesus em favor do ser humano. Jesus veio para as pessoas e forma uma primeira comunidade em favor delas. Começamos a perceber o que significa que o tempo se completou e o Reino está próximo. No centro do projeto de Jesus está a pessoa humana, homens e mulheres de todos os tempos. As ações de Jesus vão mostrando porque ele veio até nós, para que começou a formar uma comunidade de discípulos, o que significa Evangelho, tempo e Reino. Aquele que é divino veio humanizar o que é humano.
Completou-se o tempo, não o nosso, mas o tempo de Deus. O Reino está próximo, o Reino de Deus, não o nosso. O nosso tempo é medido pelas horas do relógio. O tempo de Deus não tem tempo. É um acontecimento. Acontece aqui e agora. É um acontecimento pleno que nos tira do círculo fechado dos dias e das horas e nos projeta à eternidade. É este o momento certo para que alguma coisa aconteça, e o que deve acontecer é o Reino. O Reino também é acontecimento, que se faz pouco a pouco, todos os dias, até se realizar plenamente.
Jesus não age só. Busca mediações e complementaridades. Por isso chama algumas pessoas, que deixam tudo e dão início ao discipulado para fazerem acontecer imediatamente o tempo pleno e o Reino. Imediatamente porque tudo deve ser feito logo e de uma vez, já que o tempo está pleno e o Reino, próximo. No primeiro capítulo do seu Evangelho, Marcos repete onze vezes o advérbio “imediatamente”, ou “logo”, entre outras razões porque o tempo se completou e o Reino está próximo.
Jonas devia ir a Nínive, mas não foi imediatamente. Primeiro fugiu, depois andou apenas um dia na cidade, que era grande e eram necessários três dias para percorrê-la. As expectativas de Deus se encarnam e se limitam no nosso tempo, mas se recuperam na conversão. Os ninivitas se converteram com a pregação de Jonas. Na pregação de Jesus também há um convite à conversão: “Convertam-se e creiam no Evangelho”.
O tempo se faz curto e se abrevia. A figura deste mundo passa. Há urgência em proclamar a Boa Notícia de Deus. Jesus chama imediatamente e imediatamente se deixa tudo para segui-lo. Isto é real e isto é possível porque já aconteceu e continua acontecendo. Se não todos, pelo menos alguns, de forma significativa, deixam tudo por um amor maior e dedicam-se à causa do Reino. Engrossam as fileiras iniciadas pelos quatro primeiros e as multiplicam para que não falte presença onde se faz necessário.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas