Fundo
Domingo, 07 de Março de 2021
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 18/01/2021

2ª Semana do Tempo Comum - Ano B - Verde
1ª Leitura: Hb 5,1-10 Salmo: Sl 110(109) - Senhor, tu és rei e sacerdote para sempre!
evangelho
Acaso os convidados do casamento podem jejuar enquanto o noivo está com eles? - Mc 2,18-22

Os discípulos de João e os fariseus estavam jejuando. Vieram então perguntar a Jesus: “Por que os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuam, e os teus discípulos não jejuam?” Jesus respondeu: “Acaso os convidados do casamento podem jejuar enquanto o noivo está com eles? Enquanto o noivo está com eles, os convidados não podem jejuar. Dias virão em que o noivo lhes será tirado. Então, naquele dia jejuarão. Ninguém costura remendo de pano novo em roupa velha; senão, o remendo novo repuxa o pano velho, e o rasgão fica maior ainda. Ninguém põe vinho novo em odres velhos, senão, o vinho arrebenta os odres, e perdem-se o vinho e os odres. Mas vinho novo em odres novos!”

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 7ª ed., 2008.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

O Evangelho da liturgia de hoje nos convida a perceber a presença de Jesus no meio de nós. O jejum verdadeiro é aquele que nos leva a viver o compromisso e a fidelidade a Deus.

Oremos: “Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, ensina-me a compreender e viver o verdadeiro jejum e a reconhecer Jesus em nosso meio. Amém.” Hoje, como discípulo(a) de Jesus peço que Ele me ensine orar. Coloco-me na escola de Jesus e abro bem meus ouvidos, minha alma, todo meu ser para compreender e praticar os caminhos do seu discipulado.
Oro: Trindade Santa, dai-me a graça de estar bem perto de Jesus para me concentrar em sua Palavra. Faço o sinal da cruz sobre meu corpo, Templo de Deus: “Em nome do Pai, do Filho e do Santo Espírito. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto bíblico? Faça a leitura do Evangelho, destacando as palavras que mais o(a) tocaram, e recorde outros textos que possam ajudá-lo(a) na compreensão deste. Qual é o contexto da narrativa? A quem Jesus está instruindo? Qual é o tema do ensinamento de Jesus?

“O jejum não é um valor absoluto, mas adquire sentido quando se associa à solidariedade. O Reino que Jesus veio implantar não é marcado pela tristeza. O Evangelho fala muitas vezes da alegria, e Jesus compara o Reino a uma festa de casamento. A imagem do noivo e do esposo tem profundo enraizamento no Antigo Testamento: o Senhor é o esposo e Israel, a esposa. No Novo Testamento, Jesus é o esposo e a Igreja, sua esposa. O jejum, per se, pode ser apenas um remendo. Jesus pede aos seus que se “vistam” de coerência, um pano único. As duas alegorias – pano e vinho – mostram que é necessário uma mentalidade renovada para acolher Jesus, seu ensinamento e sua proposta de agir. Somos pecadores, mas não podemos ser incoerentes.” (Viver a Palavra – 2021. Frei Aldo Colombo - Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim? Qual palavra mais chamou minha atenção durante a leitura? Como compreendo e situo minhas atitudes dentro desta fala de Jesus? Meus "jejuns" são conforme a proposta de Jesus?

Oração (Vida)

Este momento deixo meu coração falar com Deus. O que quero lhe dizer?

Permaneça comigo, Senhor, abençoa meus projetos de trabalho, minha vontade de fazer o bem e, que tudo o que eu fizer até mesmo as pequenas gentilezas sejam um testemunho de minha sintonia com a tua proposta de autenticidade e de serviço em prol do teu reinado sobre toda a criação.
Rezo pelas necessidades de meu povo. Falo com Deus das fragilidades humanas (lembro as classes menos favorecidas, as que exercem responsabilidade com o povo).

Contemplação (Vida e Missão)

Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

O Senhor Jesus Cristo esteja ao meu lado para me sustentar,
Dentro de mim para me encorajar,
Diante de mim para me orientar,
Atrás de mim para me proteger,
Acima de mim para me abençoar.
Ele que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.
Que a bênção de Deus Pai de amor e bondade desça sobre mim e sobre toda a humanidade, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Ir. Carmen Maria Pulga

Não são as práticas exteriores que importam, mas sim estar com Cristo e participar de sua alegria. Na festa há um noivo, roupas novas, vinho novo. Roupas velhas, odres velhos, jejum são coisas do passado. O que importa é a presença do noivo, que traz alegria. Jejum é estar sem o noivo. “Dias virão em que o noivo lhes será tirado […] naquele dia jejuarão”. Naqueles dias sentirão falta, não de alimentos, mas sim do noivo. Tirado por um tempo, ele retorna e permanece para sempre. O centro da controvérsia não é o jejum, mas sim a pessoa de Jesus. O que importa é estar com ele e nele, e participar das núpcias do Cordeiro. Dizia o mestre dos joanitas, que jejuavam: “Quem tem a esposa é o esposo, mas o amigo do esposo, que está presente e o ouve, é tomado de alegria à voz do esposo. Esta é a minha alegria e ela é completa”. Fariseus e joanitas jejuavam. Podemos também jejuar, tendo em mente o que ensina São Pedro Crisólogo: “O jejum só dá frutos se for regado pela misericórdia. O que jejua não colherá frutos se não abrir as torrentes da misericórdia”.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2021’, Paulinas.