Fundo
Domingo, 19 de Maio de 2024
Paulinas - A comunicação a serviço da vida

Evangelho do dia 10/03/2024

4º Domingo da Quaresma - Ano B - Roxa
1ª Leitura: 2Cr 36,14-16.19-23 Salmo: Sl 137(136) - Cantai para nós um cântico de Sião. 2ª Leitura: Ef 2,4-10
evangelho
É preciso que o Filho do Homem seja elevado, a fim de que todo aquele que crê tenha, nele, vida eterna - Jo 3,14-21

Como Moisés elevou a serpente no deserto, assim é preciso que o Filho do Homem seja elevado, a fim de que todo aquele que crê tenha, nele, vida eterna. Assim, pois, Deus amou o mundo: a ponto de dar o Unigênito, a fim de que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para julgar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele. Quem nele crê não é julgado. Quem não crê já está julgado, porque não crê no nome do Unigênito Filho de Deus. Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas que a luz, pois suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal odeia a luz e não vem para a luz, a fim de que suas obras não sejam descobertas. Mas aquele que pratica a verdade vem para a luz, a fim de que sejam manifestadas suas obras, que são realizadas em Deus”.

A Bíblia: Novo Testamento, tradução da editora Paulinas, 2015.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

O Evangelho deste Domingo é muito claro. “Deus é amor”. Este é o único jeito de Deus se relacionar com a humanidade, por meio de seu amor vivo e real em seu Filho Jesus Cristo.
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Oração: Senhor Deus, aumentai nossa fé e o desejo sincero de vos amar em nossos irmãos e irmãs, pela prática do bem, da justiça, do diálogo e do perdão. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Leitura (Verdade)

Cristo veio para nos oferecer a vida eterna através de seu amor gratuito.

Evangelho: Jo 3,14-21 Como Moisés elevou a serpente no deserto, assim é preciso que o Filho do Homem seja elevado, a fim de que todo aquele que crê tenha, nele, vida eterna. Assim, pois, Deus amou o mundo: a ponto de dar o Unigênito, a fim de que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para julgar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele. Quem nele crê não é julgado. Quem não crê já está julgado, porque não crê no nome do Unigênito Filho de Deus. Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas que a luz, pois suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal odeia a luz e não vem para a luz, a fim de que suas obras não sejam descobertas. Mas aquele que pratica a verdade vem para a luz, a fim de que sejam manifestadas suas obras, que são realizadas em Deus”.

“O Filho do Homem foi levantado para que todo aquele que olhar para Jesus Cristo crucificado, morto e ressuscitado tenha a vida eterna. Olhar no sentido bíblico é crer no poder de Deus. Nos Evangelhos, Jesus direcionava o olhar para o alto, para a realidade (olhem o Pai do céu, olhem a figueira, os pássaros, os lírios, as crianças, os sinais etc.). Com este convite, Jesus conduzia seus interlocutores a perceber Deus na vida e a acolher seus apelos misturados com a realidade. “Se teu olho for simples, teu corpo todo estará iluminado” (Mt 6,22). A luz e as trevas, também, estão em relação a este olhar de fé. Olhar para baixo pode nos levar ao abismo; olhar para o alto nos revela novos horizontes’. (Viver a Palavra – 2024 - Ir. Carmen Maria Pulga - Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

É o amor que define nossa resposta ao amor de Deus. Como me encontro nesta mediação do amor que salva?
Sou colaborativo/a para a construção da fraternidade, da justiça e salvação dos que me cercam?
Como é meu olhar para Deus?

Oração (Vida)

Ofereça a Deus os frutos de sua meditação e oração da Palavra. Apresente o desejo que brotou em seu coração e peça a graça de praticá-lo. Faça sua prece de agradecimento ou suplica.
Se desejar conclua com esta oração: “Jesus Mestre, agradeço as luzes que me destes nesta meditação. Perdoa-me os limites que me impediram de fazê-la melhor. Ofereço o desejo de seguir teus ensinamentos e peço que me fortaleças para ser fiel ao meu propósito.”

Contemplação (Vida e Missão)

Deus revela seu amor por nós. Como posso ser grato/a e retribuir este dom infinito?
Relembro meus propósitos desta Quaresma.

Bênção

Benção especial da Quaresma
- Deus Pai de misericórdia, conceda a todos, como concedeu ao filho pródigo, a alegria do retorno a casa. Amém.
- O Senhor Jesus Cristo, modelo de oração e de vida, nos guie nesta jornada quaresmal a uma verdadeira conversão. Amém.
- O Espírito de sabedoria e fortaleza nos sustente na luta contra o mal, para podermos com Cristo celebrar a vitória da Páscoa. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Carmen Maria Pulga

O povo de Israel saiu do Egito e na travessia do deserto enfrentou muitas dificuldades. Uma delas foi as serpentes venenosas. Muita gente morreu com a sua picada. Foi um castigo por causa das murmurações contra Deus e Moisés. O povo se arrependeu e Moisés intercedeu junto de Deus. O Senhor mandou que se fizesse uma serpente de bronze e fosse colocada em uma haste. Alguém, picado por uma cobra, olhando para a imagem da serpente, ficava curado. Assim está escrito no Livro dos Números e a este acontecimento Jesus se refere na conversa com Nicodemos, sábio fariseu de Israel. “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também será levantado o Filho do Homem, a fim de que todo o que nele crer tenha vida eterna”, foi o que Jesus disse ao velho Nicodemos. O episódio do deserto se torna símbolo da realidade da cruz. A serpente é o demônio com seu poder exercido contra os seres humanos. Ela fez com que a árvore do paraíso se tornasse causa de perdição da humanidade. Olhando agora para a árvore da cruz, a mesma humanidade encontra a salvação. Na árvore da cruz está o corpo crucificado de Jesus Cristo, de quem nos vem a salvação. Na luz da cruz nossas ações se tornam manifestas. Dessa luz se aproximam os que praticam a verdade e não temem que suas obras sejam denunciadas, porque são praticadas em Deus. A imagem, seja da serpente, seja da cruz, fala como falam as letras de um texto escrito. A imagem é outro tipo de Escritura para os olhos da fé. O que se vê é o Senhor Jesus entregando sua vida para a salvação do mundo. Salvação do quê? Das picadas da serpente, que são reais, tanto a serpente quanto as picadas. Deus, na sua misericórdia, preparou para nós boas obras para serem praticadas. Elas não contêm veneno e são sinal de que nos libertamos do poder da serpente. Isto é dom de Deus e não vem das obras, para que ninguém se glorie. Nossa glória é a cruz de nosso Senhor Jesus Cristo.

Cônego Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2024’, Paulinas.