Fundo
Sábado, 15 de Maio de 2021
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 17/04/2021

2ª Semana da Páscoa - Ano B - Branca
1ª Leitura: At 6,1-7 Salmo: Sl 33(32) - Da sua bondade a terra está cheia.
evangelho
Sou eu. Não tenhais medo! - Jo 6,16-21

Ao anoitecer, os discípulos desceram para a beira-mar. Entraram no barco e foram na direção de Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo a eles. Soprava um vento forte, e o mar estava agitado. Os discípulos tinham remado uns cinco quilômetros, quando avistaram Jesus andando sobre as águas e aproximando-se do barco. E ficaram com medo. Jesus, porém, lhes disse: “Sou eu. Não tenhais medo!” Eles queriam receber Jesus no barco, mas logo o barco atingiu a terra para onde estavam indo.

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 7ª ed., 2008.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Os discípulos, em meio às ondas agitadas do mar, tomam consciência da presença de Jesus, sempre solidário e protetor. Eles acolhem suas palavras encorajadoras – “Sou eu. Não tenhais medo!” – e seguem adiante sem desanimar. Que a Palavra de Deus renove em nós a fé e nos ajude a enfrentar as adversidades da vida depositando nossa confiança no Senhor.


Rezemos: “Divino Espírito Santo, necessitamos muito de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir. Temos necessidade de vós, para que o nosso coração, inundado pela vossa consolação, se abra e que, muito além das palavras e dos conceitos, possamos perceber a vossa presença. Iluminai a nossa mente, movei o nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)

Leia-o pausadamente o Evangelho. Qual é o contexto da narrativa? Qual tema o evangelista aborda? Além de “noite” e “escuridão”, quais outras palavras simbólicas você identifica no texto?

Evangelho: Jo 6,16-21 Ao anoitecer, os discípulos desceram para a beira-mar. Entraram no barco e foram na direção de Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo a eles. Soprava um vento forte, e o mar estava agitado. Os discípulos tinham remado uns cinco quilômetros, quando avistaram Jesus andando sobre as águas e aproximando-se do barco. E ficaram com medo. Jesus, porém, lhes disse: “Sou eu. Não tenhais medo!” Eles queriam receber Jesus no barco, mas logo o barco atingiu a terra para onde estavam indo

“A proposta de Jesus não tinha sido bem entendida pela multidão e é mal interpretada pelos discípulos. A multidão quer fazê-lo rei, vendo nele o Messias da abundância. Os discípulos se retiram, talvez porque pretendessem voltar à vida de antes, como se nada tivesse acontecido. Eles fazem a travessia sozinhos. E, porque estavam sozinhos, crescem as forças do mal, representadas pela escuridão da noite e pelo vento que prenunciava a tempestade. Jesus jamais abandona os seus. E suas palavras, mais uma vez, apontam a confiança: não tenham medo. A barca, agitada pelos ventos, representa a comunidade cristã que, por vezes, é tentada pela autossuficiência. Mesmo quando o abandonamos, ele não nos abandona.” (Viver a Palavra – 2021. Frei Aldo Colombo - Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz a você hoje?
Leia novamente o relato do evangelho e repita as palavras que chamaram sua atenção. Quais são as águas agitadas que você precisa enfrentar? Jesus está no barco com você? Você reconhece o Senhor que se aproxima do seu barco e confia em suas palavras: “Sou eu. Não tenhais medo”?
Para reconhecermos a presença do Senhor Ressuscitado nos momentos difíceis da vida, necessitamos de muita fé. Mas nós não devemos temer, pois o Ressuscitado está no nosso meio, está junto de nós. Que possamos sempre acolher as palavras encorajadoras de Jesus – “Sou eu. Não tenhais medo!” –, sobretudo nos momentos de dificuldade e temor.

Oração (Vida)

O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? Jesus é o Mestre de nossa vida, o Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Neste momento de oração, louve e agradeça ao Senhor sua presença de amor. Com muita simplicidade, apresente a Ele suas preces e as realidades que você deseja que Ele apazigue acalmando a tempestade.
“Senhor Jesus, concede-me crer firmemente no amor que Tu me revelaste e que doaste no teu Evangelho. Faze que eu ouça cada dia a tua voz afastando os medos, enchendo-me de confiança para sentir sempre em mim os benefícios da tua redenção. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)

A contemplação é o seu ponto de chegada, a última parte da leitura orante antes de sair em missão para vivê-la. Qual palavra você deseja que se torne vida em sua vida neste dia?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Carmen Maria Pulga

Jesus multiplicou os pães e quiseram fazê-lo rei, para terem pão de graça, mas Jesus retirou-se sozinho para a montanha. Ao entardecer, os discípulos entram no barco e navegam para Cafarnaum. O mar se agita, e está escuro. Eles veem Jesus andando sobre as águas e ouvem: “Não tenham medo. Sou eu”. Não tenham medo, ele está presente, é o Senhor. Não é preciso fazê-lo rei. Ele é o Senhor dos elementos da natureza, e também do pão que acaba de ser multiplicado. Não tenham medo de se equivocar, de se enganar. O pão consagrado sou eu, o “Eu sou”, aquele que existe e enviou Moisés para dizer ao rei do Egito: “Deixa meu povo ir”. “Sou eu, não tenham medo.” Cristo ressuscitou, partiu, voltou e permanece entre nós até o fim dos tempos. Voltou no Espírito Santo, que invocamos sobre o pão e o vinho para que sejam mudados no Corpo e no Sangue de Jesus Cristo. Assim cremos e assim fazemos em perene memorial. No Evangelho de João, Jesus não veio em socorro dos discípulos. Não lhes disse: “Coragem, sou eu, não tenham medo”, como lemos nos Sinóticos. Ele disse simplesmente: “Sou eu. Não tenham medo”, porque veio ao encontro dos discípulos, aproximando-se do barco. Na comunhão, Jesus ressuscitado se aproxima do nosso barco.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2021’, Paulinas.