Fundo
Terça-feira, 16 de Abril de 2024
Paulinas - A comunicação a serviço da vida

Evangelho do dia 16/04/2024

3ª Semana da Páscoa - Ano B - Branca
1ª Leitura: At 7,51–8,1a Salmo: Sl 31(30) - Nas tuas mãos entrego o meu espírito.
evangelho
Sou eu o Pão da Vida - Jo 6,30-35

Disseram‑lhe, então: “Que sinal fazes para que vejamos e creiamos em ti? Que obra realizas? Nossos pais comeram o maná no deserto, conforme está escrito: ‘Pão do céu deu‑lhes a comer’”. Disse‑lhes, então, Jesus: “Amém, amém, eu vos digo: não foi Moisés quem vos deu o pão do céu, mas é meu Pai quem vos dá o verdadeiro pão do céu, pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo”. Disseram‑lhe, então: “Senhor, dá-nos sempre deste pão”. Disse‑lhes Jesus: “Sou eu o Pão da Vida. Quem vem a mim não terá fome e quem crê em mim nunca mais terá sede.

A Bíblia: Novo Testamento, tradução da editora Paulinas, 2015.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Iniciamos um novo dia buscando o Senhor, o Pão da vida, que, em sua Palavra, nos alimenta, nutre, fortalece na caminhada, indica-nos o caminho da vida plena. Bendito sejas, Deus da vida, por este novo dia. Na escuta da Palavra, reconheceremos que nosso Deus é o Deus dos vivos e nos alimenta com seu amor.

Rezamos: “Vem, Espírito Santo! Fazei-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Tornai-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Dai-nos sabedoria e docilidade de coração! Amém.”



Leitura (Verdade)

Leia o texto e deixe-se tocar diretamente pelo Evangelho. Quais palavras mais se repetem no Evangelho? O que busca a multidão ao procurar por Jesus? Qual é a mensagem de Jesus?

Evangelho: Jo 6,30-35 Disseram‑lhe, então: “Que sinal fazes para que vejamos e creiamos em ti? Que obra realizas? Nossos pais comeram o maná no deserto, conforme está escrito: ‘Pão do céu deu‑lhes a comer’”. Disse‑lhes, então, Jesus: “Amém, amém, eu vos digo: não foi Moisés quem vos deu o pão do céu, mas é meu Pai quem vos dá o verdadeiro pão do céu, pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo”. Disseram‑lhe, então: “Senhor, dá-nos sempre deste pão”. Disse‑lhes Jesus: “Sou eu o Pão da Vida. Quem vem a mim não terá fome e quem crê em mim nunca mais terá sede.

“O povo pede a Jesus um sinal que o credencie como o enviado de Deus, igual ou maior que Moisés. Jesus explica pacientemente que o maná que veio do céu e matou a fome do povo no deserto não foi dado por Moisés, e sim por Deus. Agora, o Pai oferece o próprio Filho, o Pão verdadeiro que sustenta todo aquele que nele crê. Em Jesus, temos um novo olhar, uma palavra nova, cheia de misericórdia, de perdão, de paz; um pão que nutre e plenifica nosso ser. Quem saboreou a presença de Deus, sabe perfeitamente o que nos sustenta em nossas fomes, em nossos medos, em nossas carências e inseguranças, diante de tantas situações sem resposta humana. “Senhor, dá-nos sempre deste pão.” (Viver a Palavra – 2024 - Ir. Carmen Maria Pulga - Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O próprio Jesus é o pão do céu e toda a sua vida é alimento para o povo. Em Jesus, em suas palavras e ações, revela-se a verdadeira vida que Deus nos oferece. Só Jesus pode saciar a nossa fome de uma vida plena, autêntica, de amor, paz, liberdade
O que o texto diz para minha vida?
Quais os sinais realizados por Jesus que eu me recordo?
O que significam para mim as palavras de Jesus: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome”?
Qual foi o maior e mais eloquente sinal que Jesus pode oferecer à humanidade?

Oração (Vida)

Ó Jesus, verdadeira luz que ilumina a humanidade, viestes do Pai para ser nosso mestre e nos ensinar seu caminho na verdade: vida e espírito são as “palavras” que nos destes.
Concedei-nos conhecer os mistérios de Deus e suas incompreensíveis riquezas.
Mostrai-nos todos os tesouros da sabedoria e da ciência de Deus, que em vós estão guardados.>br> Fazei com que a palavra habite nossa vida e ilumine nossos passos.
Fazei com que a palavra se espalhe rapidamente e chegue até os confins da Terra.

Além das preces e orações que a Palavra de Deus despertou em seu coração, reze em comunhão com as pessoas que passam necessidades. Recordemos as multidões famintas de hoje. Famintas de pão, de verdade, de justiça e de sentido.

Contemplação (Vida e Missão)

Qual atitude desejo viver neste dia para estreitar sempre mais meu compromisso com a proposta de Jesus?

Bênção

Deus Pai do céu te abençoe e te cuide Que Ele esteja na tua frente para te mostrar o caminho correto. Atrás de ti para te sustentar em todos os desafios Acima de ti para te proteger contra os perigos que vem do alto Que Deus esteja em teu coração como chama ardente, e que a luz dele ilumine tua vida e te aqueça para a virtude. Que Ele te cerque por todos os lados e não permita que te afastes dele. Amém.

Ir. Carmen Maria Pulga

Jesus sabia que as pessoas o procuravam por terem comido o pão e o peixe. Pedem agora um sinal para poder acreditar nele. Acabaram de ver a multiplicação dos pães. O que querem, porém, não é um sinal. É pão. Continuam insistindo no pão dado de graça e lembram que Moisés tinha dado pão para o povo no deserto. Jesus lhes explica que o verdadeiro pão do céu não é aquele do deserto, e sim o pão que o Pai vai dar e que desce do céu para a vida ao mundo. Jesus falava de si mesmo. Ele é o pão que alimenta para a vida eterna. Ele mata a fome e a sede para sempre. Pedem então que Jesus lhes dê sempre desse pão, pensando em um pão material que mataria a fome de uma vez. Jesus, porém, não falava do pão que comemos como alimento do corpo. Ele não pensa só no corpo. Ele está falando de um alimento para a vida da pessoa humana em todas as suas dimensões. Não entendem o que Jesus está dizendo. Entendem, porém, que precisam do pão que se come cada dia, que é um símbolo para todos os nossos alimentos. Jesus oferece mais, oferece a si mesmo como alimento que sustenta na caminhada para a Páscoa eterna.

Cônego Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2024’, Paulinas.