Fundo
Sexta-feira, 20 de Abril de 2018
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store
Texto de Maria do dia 17 de abril
Maria diante da vida pública de seu Filho
Maria diante da vida pública  de seu Filho
Filippo Lippi

Não precisamos supor que Maria estivesse presente em todos os acontecimentos da vida pública de Jesus e conhecesse todos os seus discursos e pronunciamentos e visse todas as suas ações. Aliás, as Escrituras não passam essa informação.

Podemos supor que ela tivesse bastante conhecimento pelo testemunho das pessoas que rodeavam seu Filho, muitos discípulos e discípulas, inclusive os apóstolos que, certamente, falavam sobre Jesus. Com efeito, ele era um fenômeno público que movimentava multidões pelo que dizia e fazia, sobretudo os milagres e os exorcismos. Conforme Maria ouvira do profeta Simeão, ele era motivo de contradição. Muitos testemunhavam a seu favor, convertiam-se e se tornavam seus discípulos. Outros tantos o discriminavam, notadamente os fariseus, saduceus, escribas e sacerdotes. Alguns deles tramavam sua morte.

Maria vivia, alegrava-se e sofria e talvez se inquietasse com todos os acontecimentos contraditórios, referentes à atividade evangelizadora de Jesus. Na verdade, ela o acompanhava com o coração e com sua discrição, peregrinando na fé. Mais do que isso, Maria se constituía em verdadeira discípula. Por isso, se diz que ela foi a primeira cristã. Então, não se trata de conhecer tudo, ver tudo ou se informar de tudo, a partir do exterior. Iluminada interiormente pela fé e pela presença do Espírito Santo, ela compreendia e penetrava com profundidade, bem mais do que todos os discípulos, o significado do Mistério divino daquele homem que ela trouxera ao mundo. Ela sabia bem que ele era Filho de Deus.

Do Livro: 'Maria da nossa fé', Paulinas Editora.