Fundo
Sexta-feira, 03 de Julho de 2020
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store
Data comemorativa do dia 01 de julho
Dia da Instituição do Real como Unidade Monetária
Dia da Instituição do Real como Unidade Monetária
Freepik

Desde o descobrimento do Brasil, circularam no País vários tipos de unidade monetária, com símbolos, valores e materiais diferentes, desde pequenas conchas, valiosíssimas peças de ouro, às atuais, feitas com materiais menos nobres.

A primeira Casa da Moeda foi criada em 1694, em Salvador. Depois surgiram as de Recife, Rio de Janeiro e Vila Rica, que funcionaram como oficinas monetárias oficiais. Em 1808, foi criado o Banco do Brasil, o primeiro banco da América do Sul. Dois anos depois, foram emitidos os primeiros bilhetes do banco, antepassados das cédulas atuais.

Na segunda metade do século XIX, após a Independência, o Brasil entrou em fase de progresso econômico. Nesse período os bancos das várias cidades foram autorizados a emitir papel-moeda, sendo adotado o múltiplo do real como unidade monetária (plural: réis). Em 1825, foram confeccionadas as primeiras cédulas emitidas pelo Tesouro Nacional, substituídas depois pelas fabricadas na Inglaterra, em 1835, para evitar a falsificação. Com a fundação do novo Banco do Brasil, em 1851, o País voltou a ser o único emissor de moeda, por meio de matriz do Rio de Janeiro e das Caixas filiais de Ouro Preto, São Paulo, Bahia, Pernambuco, Pará, Rio Grande do Sul e Maranhão.

O real foi o padrão da moeda nacional até 1º/11/1942, quando nasceu o cruzeiro (Cr$). Com a inflação, este se desvalorizou cada vez mais. Então foi criada em 13/2/1967 uma unidade transitória chamada cruzeiro novo, equivalente a mil cruzeiros. Em 15/5/1970, o Conselho Monetário Nacional, instituído em 1964, restabeleceu o cruzeiro, mantendo-se a equivalência com o padrão anterior. Novo surto de inflação atingiu a década de 1980, resultando numa série de medidas de estabilização econômica, que, em 28/2/1986, culminou com a instituição de nova moeda, o cruzado (Cz$), cuja unidade valia mil cruzeiros. Em 16/1/1989, outra moeda foi colocada em circulação, em paridade com o dólar: o cruzado novo (NCz$), Em 16/3/1990, o cruzeiro mais uma vez voltou a ser o padrão monetário, equivalendo a um cruzado novo. Em 1º/8/1993, nova reforma monetária instituiu o cruzeiro real (CR$), valendo mil cruzeiros.

Houve outra mudança, em 1º/7/1994, que instituiu o real (R$). Foi a mais complicada mudança de padrão monetário já feita no Brasil, para combater a inflação, pois substituiu todo o dinheiro que se achava em circulação, por determinação do Banco Central.

Como medida preparatória, em fevereiro de 1994, foi criado um indexador, Unidade Real de Valor (URV) que passou a indexar os preços e salários praticados no Brasil. Em 1º de julho de 1994, o valor da URV foi fixado em paridade com o real. Isto é, um real valia uma URV, que teve seu valor fixado em CR$ 2.750,00. Portanto, um real equivale a 2.750 cruzeiros reais.

O plano econômico funcionou. Hoje o Brasil tem uma moeda estável: o real (plural: reais).

Retirado do livro: 'Datas Comemorativas cívicas e históricas', Paulinas Editora.