Fundo
Domingo, 22 de Maio de 2022
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 23/01/2022

3º Domingo do Tempo Comum - Ano C - Verde
1ª Leitura: Ne 8,2-4a.5-6.8-10 Salmo: Sl 19(18B) - As ordens do Senhor são justas. 2ª Leitura: 1Cor 12,12-30 ou 1Cor 12,14-17
evangelho
Ele me ungiu para anunciar a Boa-Nova aos pobres - Lc 1,1-4;4,14-21

Muitos tentaram escrever a história dos fatos ocorridos entre nós, assim como nos transmitiram aqueles que, desde o início, foram testemunhas oculares e, depois, se tornaram ministros da palavra. Diante disso, decidi também eu, caríssimo Teófilo, redigir para ti um relato ordenado, depois de ter investigado tudo cuidadosamente desde as origens, para que conheças a solidez dos ensinamentos que recebeste. Jesus voltou para a Galileia, com a força do Espírito, e sua fama se espalhou por toda a região. Ele ensinava nas sinagogas deles, e todos o elogiavam. Foi então a Nazaré, onde se tinha criado. Conforme seu costume, no dia de sábado, foi à sinagoga e levantou-se para fazer a leitura. Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, encontrou o lugar onde está escrito: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pois ele me ungiu, para anunciar a Boa-Nova aos pobres: enviou-me para proclamar a libertação aos presos e, aos cegos, a recuperação da vista; para dar liberdade aos oprimidos e proclamar um ano aceito da parte do Senhor”. Depois, fechou o livro, entregou-o ao ajudante e sentou-se. Os olhos de todos, na sinagoga, estavam fixos nele. Então, começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”.

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Liturgia do 3º domingo do Tempo Comum. Na sinagoga de Nazaré jesus se revela como o Messias, como fora anunciado pelos profetas. Em torno da Palavra podemos, de fato, fazer nossa experiência de fé e de vida cristã.


Oremos: “Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, ajuda-me a dizer ‘sim’ ao projeto de Deus, com coragem e abandono de tudo aquilo que me impede de segui-lo. Amém.”

Leitura (Verdade)

Lucas se dirige a um amigo seu , chamado Teófilo, que quer dizer 'amigo de Deus'. Diz claramente o que significa a Palavra que vai escrever, para que ele mesmo comprove a solidez dos fatos, dos acontecimentos ao redor da fé, em torno de Jesus. Nossa fé se fundamenta na rocha firme que é Cristo Jesus.

Evangelho: Lc 1,1-4; 4,14-21 Muitos tentaram escrever a história dos fatos ocorridos entre nós, assim como nos transmitiram aqueles que, desde o início, foram testemunhas oculares e, depois, se tornaram ministros da palavra. Diante disso, decidi também eu, caríssimo Teófilo, redigir para ti um relato ordenado, depois de ter investigado tudo cuidadosamente desde as origens, para que conheças a solidez dos ensinamentos que recebeste. Jesus voltou para a Galileia, com a força do Espírito, e sua fama se espalhou por toda a região. Ele ensinava nas sinagogas deles, e todos o elogiavam. Foi então a Nazaré, onde se tinha criado. Conforme seu costume, no dia de sábado, foi à sinagoga e levantou-se para fazer a leitura. Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, encontrou o lugar onde está escrito: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pois ele me ungiu, para anunciar a Boa-Nova aos pobres: enviou-me para proclamar a libertação aos presos e, aos cegos, a recuperação da vista; para dar liberdade aos oprimidos e proclamar um ano aceito da parte do Senhor”. Depois, fechou o livro, entregou-o ao ajudante e sentou-se. Os olhos de todos, na sinagoga, estavam fixos nele. Então, começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”.

“No escrito de Neemias, vemos a comunidade que voltou do exílio se reencontrando com o livro santo da lei de Deus. Esse povo ficou emocionado com os textos sagrados, pelos quais Deus se comunicava tão amorosamente com ele. Em Nazaré, vemos Jesus na sinagoga fazendo a leitura bíblica e nos mostrando a atualidade da Palavra. É hoje que Deus nos fala, é hoje que suas promessas se cumprem. Essas duas passagens chamam nossa atenção para o valor que devemos dar à Sagrada Escritura. Na celebração dominical, de maneira especial, a Palavra é proclamada, explicada, rezada. É o pão da vida, alimento sagrado para nos sustentar na caminhada desta vida. Deste alimento, precisamos cotidianamente.” (Viver a Palavra – 2022. Pe. João Carlos Ribeiro - Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O Evangelho quer firmar nossa fé na pessoa de Jesus e, por isso, nos recorda onde estão as referências, os fundamentos da fé.
Minha fé é adulta a ponto de compreender esta passagem do Evangelho? Ou sou ainda uma criança na fé, incapaz de compreender mesmo diante dos fatos? Estou na escola dos Evangelhos como Teófilo, o que compreendo da proposta de Jesus?

Oração (Vida)

Pai, que eu saiba entregar-me com toda confiança nas mãos de teu Filho, pois só assim estarei seguro de estar trilhando o caminho para ti. Dá-me, Pai amado, discernimento e coragem para perceber por onde passam os caminhos de Jesus, o Cristo, teu Filho que se fez nosso Irmão, para que eu o acompanhe com dócil confiança até o fim. Amém!

Contemplação (Vida e Missão)

Em Nazaré, vemos Jesus na sinagoga fazendo a leitura bíblica e nos mostrando a atualidade da Palavra. É hoje que Deus nos fala, como quero ouvir a sua Palavra?

Bênção

Pai Amado és o ser mais poderoso que pode existir. Eu te agradeço de antemão Tuas bênçãos. ... Te agradeço agora, Pai e Senhor pelas bênçãos que acabamos de receber e as bênçãos que estarão por vir. Em nome de Jesus, Amém

Ir. Carmen Maria Pulga

O tema da liturgia deste domingo pode ser definido como a pregação inaugural de Jesus. A Escritura é a base da fé. Assim sendo, a Palavra de Deus é lida para a assembleia reunida, para que possam fazer opções maduras e conscientes. A primeira leitura (Ne 8,2-4a.5-6.8-10) relata como, na volta do Exílio, a comunidade um tanto desestruturada e ignorante no conhecimento de Deus é confrontada com as Escrituras. Esdras e Neemias fazem ato público em ambiente apropriado para ler a Lei de Deus (Deuteronômio), e o povo a acolhe, com choro e alegria. A cerimônia culmina com uma exortação à festa e à partilha de alimentos, pois em Deus tudo é festa. A segunda leitura (1Cor 12,12-30) continua a temática do domingo anterior: os dons do Espírito Santo são para a edificação do corpo de Cristo, que é a Igreja. O evangelho de Lucas foi escrito depois de ter feito uma pesquisa séria junto às pessoas que testemunharam a vida de Jesus. Seu objetivo é dar base sólida à fé dos cristãos. Assim, com esse testemunho, o texto de Lucas 1,1-4; 4,14-21 leva o leitor à pregação inaugural de Jesus (4,14-21), o programa de sua ação. O texto está construído sobre Is 61,1-2; Is 58,6 e Is 35,5. Falta, porém, uma frase: “dia da vingança de nosso Deus” (Is 61,2). Jesus é conduzido pelo Espírito (v. 18), o mesmo do batismo (Lc 3,22), o que o animou durante as tentações (Lc 4,1). O programa de Jesus é o da libertação total de todas as categorias, baseado em Lv 25,8ss. Por isso mesmo, a mensagem e a ação de Jesus são uma Boa Notícia a todos os oprimidos. Está, nesse programa, uma antecipação das Bem-aventuranças (Lc 6,20ss) e de toda a ação de Jesus, que sempre foi a favor dos pequenos, pobres e sofredores, pois a glória de Deus é a vida digna de todos. Para isso, a ação de Jesus anuncia o ano da graça para: pobres (explorados), cativos (vítimas das dívidas), cegos (enganados pela ideologia).

Frei Bruno Godofredo Glaab, ‘A Bíblia dia a dia 2022’, Paulinas.