Fundo
Terça-feira, 22 de Junho de 2021
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store

Evangelho do dia 15/05/2021

6ª Semana da Páscoa - Ano B - Branca
1ª Leitura: At 18,23-28 Salmo: Sl 47(46) - Deus reina sobre os povos.
evangelho
Eu saí do Pai e vim ao mundo - Jo 16,23b-28

“Em verdade, em verdade, vos digo: se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vos dará. Até agora, não pedistes nada em meu nome. Pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa. Eu vos falei estas coisas por meio de figuras. Vem a hora em que não mais vos falarei em figuras, mas vos falarei claramente do Pai. Naquele dia pedireis em meu nome. E não digo que eu rogarei ao Pai por vós. Pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que saí de junto de Deus. Eu saí do Pai e vim ao mundo. De novo, deixo o mundo e vou para o Pai.”

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 7ª ed., 2008.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial

Jesus fala aos discípulos em linguagem figurativa, mas vai chegar a hora em que lhes falará abertamente do Pai. Esta é a hora, para nós, seus discípulos(as) em que Jesus nos fala do Pai, escutemos: “Se pedirdes ao Pai alguma coisa, em meu nome, ele vo-la dará”. Num momento em silêncio entre em diálogo com Jesus e ore ao Pai para que supra suas carências espirituais e psicológicas.< br>

Leitura (Verdade)

Leia o Evangelho com atenção às recomendações de Jesus aos seus discípulos(as). Sublinhe os verbos que Jesus usa nesse texto.

Evangelho: Jo 16,23b-28 “Em verdade, em verdade, vos digo: se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vos dará. Até agora, não pedistes nada em meu nome. Pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa. Eu vos falei estas coisas por meio de figuras. Vem a hora em que não mais vos falarei em figuras, mas vos falarei claramente do Pai. Naquele dia pedireis em meu nome. E não digo que eu rogarei ao Pai por vós. Pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que saí de junto de Deus. Eu saí do Pai e vim ao mundo. De novo, deixo o mundo e vou para o Pai.”

“Quando se aproxima a hora de afastar-se dos discípulos, Jesus deixa algumas recomendações importantes para o futuro. Ele indica um novo interlocutor: o Pai. Mais: ele traça o perfil do Pai e sua generosidade. O Pai atenderá todos os seus pedidos e dará até coisas melhores que as que foram pedidas. E isso porque o Pai ama a todos os que acreditaram e amaram o Filho. Porque somos pobres, temos o direito e a obrigação de pedir, mas sempre condicionamos nossos pedidos à vontade do Pai. Ele sabe mais do que nós o que precisamos e o que nos é necessário. Mais do que precisamos, coloquemos em primeiro lugar o Nome, o Reino e a vontade do Pai, como nos ensina a oração que Jesus nos ensinou: o Pai-Nosso.” (Viver a Palavra – 2021. Frei Aldo Colombo - Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim? Meditar não é ficar com a mente vazia, então volte ao Evangelho e, lendo-o novamente, com bastante atenção, deixe-se tocar por ele. Durante a leitura, permita que a Palavra entre em seu coração e se faça vida em sua vida. Procure acolher o que o Senhor lhe oferece neste momento.

Oração (Vida)

Este é o momento de dar a sua resposta de amor e adesão a Deus. Sintetize o que viveu com a Palavra e apresente ao Senhor. Sua resposta a Deus pode ser de louvor ou de ação de graças, de súplica ou de perdão. O importante é dirigir a Ele a sua oração pessoal, apresentando-lhe também as realidades que o(a) cercam.

Contemplação (Vida e Missão)

Deixe-se provocar pela ação de Jesus. Qual será sua ação concreta de hoje, a partir da escuta, meditação e contemplação do evangelho?
Sintetize em poucas palavras o apelo que você sentiu em seu coração, para colocá-lo em prática durante o dia. O que você se propõe a viver?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
- Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Carmen Maria Pulga

É por meio de Jesus Cristo que se devem apresentar súplicas a Deus. Este é o esquema básico da oração litúrgico-cristã. Com a ressurreição de Jesus Cristo e a descida do Espírito Santo, é inaugurada, podemos dizer, uma nova etapa na história da salvação, a saber, o tempo da Igreja, o tempo do testemunho. Essa nova etapa da história da salvação é também o tempo da “palavra aberta”, isto é, o tempo em que as palavras de Jesus, sua mensagem, adquirem seu sentido pleno e a sua compreensão. No tempo de sua vida terrestre, a mensagem de Jesus era enigmática. No tempo da ressurreição, ela ganha uma luz tão grande que tudo faz sentido. Se no tempo de sua vida terrestre as pessoas não chegaram a compreender a verdadeira identidade e origem de Jesus, agora, pelo Espírito Santo, no tempo da “palavra aberta”, é compreendida a mensagem de Jesus sem figuras nem sombras: “eu saí do Pai e vim ao mundo. De novo, deixo o mundo e volto para o Pai”. No tempo da Igreja, o testemunho deve ser vivido na alegria, que é dom de Jesus Cristo Ressuscitado, e na confiança em Deus, atitude essa que deve ser expressa na oração permanente.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2021’, Paulinas.