Fundo
Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store
Texto de Maria do dia 25 de junho
Nossa Senhora Rainha da Paz de Medjugorje
Nossa Senhora Rainha da Paz de Medjugorje
Mariusz Musial

A pequena cidade de Medjugorje, cujo nome pronuncia-se “Mediugórie”, da antiga Iugoslávia, hoje Bósnia-Herzegovina, está situada entre montanhas rochosas. A população é formada por famílias de camponeses humildes de tradição católica, cuja vida social está toda ligada às atividades paroquiais. O lugar ganhou expressão mundial a partir de 1981, quando começaram as mais longas aparições da Virgem Maria na história da Igreja Católica.

No dia 24 de junho desse ano, as jovens Ivanka, com 15 anos, e Miriana, com 16, voltavam para a casa após um habitual passeio ao entardecer. Em determinado momento, Ivanka olhou para trás, seguida pela amiga, e viu o vulto de uma mulher em pé numa nuvem, flutuando sobre um arbusto, não muito distante. Assustadas, desceram correndo a montanha aos gritos de “é a Gospa”, que, no idioma local, quer dizer Nossa Senhora.

No dia seguinte, 25 de junho, Ivanka e Miriana voltaram ao local, seguidas por Jacó, com 10 anos, Maria, com 16 anos, Ivan, com 15 anos, e Vicka, com 17 anos, e todos presenciaram a aparição de Nossa Senhora. Ela contou a Miriana dez segredos sobre futuros eventos e a autorizou a entregá-los ao padre Petar, com 50 anos, para serem revelados com antecedência de três dias. Em seguida, deixou a primeira mensagem ao mundo: voltar a Deus por meio de conversão, fé, oração, jejum, reconciliação e, sobretudo, vida sacramental.

No terceiro dia consecutivo de aparições, 26 de junho, a Virgem Santíssima surgiu chorando e repetindo: “Paz, paz, paz; entre Deus e a humanidade precisa haver paz novamente”. A Mãe ressaltou: “Se não houver a conversão, esperem sofrimento no futuro, porque a humanidade está preparando sua própria tragédia”. Por esta razão recebeu o título de “Rainha da Paz”. Nesse dia, além dos seis jovens, havia cerca de 2.000 pessoas presentes.

As aparições continuaram diariamente na mesma hora, porém, além dos seis videntes, outros devotos e peregrinos viram a Santíssima Virgem. Uma vez, a aparição se deu na igreja da paróquia, na presença do sacerdote e de vários fiéis. Depois, ocorreu na Montanha da Cruz, onde ficou por cerca de meia hora, sendo vista por todos os presentes. No local, hoje existe uma grande escultura da imagem de Nossa Senhora Rainha da Paz. Existem registros da aparição de um sinal no céu em letras douradas, formando a palavra MIR, que significa PAZ.

Medjugorje começou a receber muitos romeiros de outras fronteiras. O país, na época, vivia sob o regime comunista, e as autoridades civis ficaram alarmadas. Tentaram impedir as demonstrações de fé da população, mas sem sucesso, até porque a maioria das pessoas assistiu a manifestações de sinais no sol, na lua e nas estrelas. Alguns, apesar da chuva e da roupa comum, não se molhavam, e outros presenciaram casos de cura e a conversão de milhares de incrédulos, que apenas acompanhavam as romarias.

Nossa Senhora de Medjugorje, ou Rainha da Paz, foi descrita por todos os videntes como uma jovem mulher de estatura mediana sobre uma nuvem, com semblante sereno, olhos azuis, pele branca e rosada e cabelos negros cobertos com um véu branco, usando um vestido em geral cinza claro e com doze estrelas acima da cabeça. Mais de duas décadas depois, a Virgem continuou aparecendo diariamente, ratificando a urgência da conversão, para que reine a paz no planeta. Atualmente, as mensagens são recebidas no dia 25 de cada mês e veiculas pelos modernos meios de comunicação.

A comunidade científica enviou a Medjugorje modernos aparelhos nucleares, mas não encontrou evidências materiais que explicassem as incidências constatadas. O Vaticano também está presente com várias comissões de bispos, cuja tarefa é seguir e registrar a evolução dos acontecimentos.

Texto: Jacinta Cericato/Paulinas Internet