Fundo
Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store
Dica de Vida Saudável do dia 09 de agosto
A hora e a vez da Berinjela
A hora e a vez da Berinjela
Pixabay

Hoje tem berinjela? Tem, sim, senhor! Esse vegetal da família botânica das solanáceas, fruto da planta cientificamente chamada Solanum melongena, é tão comum na alimentação dos brasileiros que muita gente atribui a cor roxa ao nome do fruto, embora a berinjela também possa ser encontrada, em menor proporção, com a casca nas cores branca ou vermelha escura.

O fruto é originário da Índia e pertence à família do pimentão, a princípio ficou conhecido como planta ornamental e há mais de 2.500 anos é consumido. Da Índia foi para a China. Existe um tratado chinês de cerca de 500 anos a.C. (antes de Cristo), que menciona o uso do alimento. Chegou à Europa no século 13 trazido pelos árabes.

Mas, será que esse alimento foi sempre tão apreciado assim? Não, ao ser introduzido no Ocidente não tinha uma boa fama, tanto é que em italiano se chama melanzane, que significa “maça não saudável”.

Do babaganuche árabe à moussaka grega, passando pelo ratatouille francês e a caponata italiana, receitas à base de berinjela são conhecidas no mundo todo. No Brasil, essa iguaria chegou trazida pelos portugueses no século 16 e, no fim do século 20, ganhou a chancela de planta que cura.

Rica em proteínas, nas vitaminas A, B1, B2, B6, niacina e C, minerais, como, por exemplo, potássio, fósforo, magnésio, ferro, zinco e cálcio e alcaloides, que auxiliam na diminuição da pressão sanguínea, a berinjela é nutritiva, digestiva e laxante, indicada nos casos de desnutrição, indigestão e prisão de ventre.

A nutricionista Jacqueline Moniz Anversa, da equipe Hevoise F. Papini Nutrição e Educação, diz que essa solanácea é tão associada às dietas de emagrecimento porque contém alto teor de fibras, “que prolonga a sensação de saciedade e mantém a glicemia (nível de açúcar no sangue) mais estável, evitando picos”.

Ela diz ainda que o consumo regular desse alimento está associado à diminuição dos níveis elevados de colesterol e triglicerídeos, “devido a uma substância presente na casca da berinjela, chamada antocianina, que confere sua cor característica”. A antocianina também é encontrada em uvas roxas, amoras, jabuticabas, casca de batata-doce, cebola roxa, repolho roxo, vinho. Dessa forma, a berinjela contribui para a prevenção de doenças cardiovasculares, além de possuir efeito diurético, anti-inflamatório e antioxidante, diminuindo a incidência de doenças degenerativas e cataratas no globo ocular de indivíduos diabéticos.

A nutricionista explica que os estudos conclusivos sobre os efeitos do alimento foram realizados em animais e indicaram significativa redução do colesterol total ou do LDL, “porém, em humanos, os benefícios ainda não foram comprovados”, diz.

Por Sílvia Torreglossa/ Revista Família Cristã, edição 939.