Fundo
Sábado, 24 de Julho de 2021
Baixe o app do Comece o dia feliz
Play Store App Store
Dica de Vida Saudável do dia 21 de junho
O grãozinho que faltava
O grãozinho que faltava
Freeimages

A soja, esse grãozinho amarelo poderoso, é originária da Manchúria, região localizada na China. Chegou ao Brasil no século 20, com imigrantes japoneses e chineses, mas o boom de sua produção em terras tupiniquins aconteceu na década de 1970, em tempos de mecanização e avanço tecnológico na área agrícola.

Vários e diferentes estudos científicos comprovam a ação da soja na prevenção de doenças, como problemas de coração, alguns tipos de câncer, osteoporose, mal de Alzheimer e sintomas da menopausa nas mulheres. “Este alimento é rico em proteínas, gordura e fibra alimentar, quando consumido na forma de grão ou de massa de soja (a que foi gerada no preparo da bebida); os compostos bioativos chamados de isoflavonas (genisteína e daidzeína) podem resultar em alguma ação hormonal, o que deve ser monitorado”, explica a nutricionista Semíramis Martins Álvares Domene, membro da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição.

Semíramis lembra que há diferentes formas de consumir o grão: cozido como o feijão, ensopado ou em salada, ou ainda torrado ou frito como petisco. Contudo, a maior parte do consumo de soja se dá na forma de subprodutos, dos quais o óleo é o mais conhecido. Outra forma de consumo é a proteína texturizada de soja (PTS), também conhecida como proteína vegetal texturizada (PVT), que é vendida na forma de pequenos pedacinhos chamados pellets, com ou sem aromas, para imitar carne bovina, frango e até bacon.

“Há ainda o extrato de soja ou suco de soja (conhecido de forma incorreta como leite de soja) e o concentrado proteico chamado de tofu, que alguns confundem com queijo e chamam também erroneamente de queijo de soja”, conta a nutricionista.

Para preparar o grão em casa é preciso alguns cuidados. A soja precisa ser cozida pelo menos 20 minutos em fervura, para eliminar compostos que atrapalham o aproveitamento dos nutrientes (são inibidores de enzimas digestivas e aglutinadores de hemácias, as células vermelhas do sangue).

“O preparo do grão em casa para produzir o extrato de soja dá origem à massa do grão, que pode ser usada para fazer bolos, bolinhos, tortas; já a farinha de soja é usada em mistura com farinha de trigo para o preparo de pães. Como se vê, trata-se de um alimento muito versátil”, explica Semíramis.

Ela lembra que a soja não deve ser consumida diariamente, mas pode ser incluída semanalmente em uma dieta diversificada. “Meu conselho é sempre procurar o consumo de grãos ou produtos de agroecologia, livre de agrotóxicos, e consumir com moderação. Quanto aos subprodutos como o PVT ou o extrato, devem ser consumidos raramente, especialmente quando aromatizados artificialmente”, conclui a nutricionista.

Karla Maria/Revista Família Cristã, edição nº 957.